Viagora

A mulher está conquistando força e voz, diz delegada Vilma Alves

Nesta terça-feira, 8 de março, é comemorado o Dia Internacional da Mulher e a delegada falou sobre o assunto.

Nesta terça-feira, 8 de março, é comemorado o Dia Internacional da Mulher, data que é um símbolo da luta feminina por igualdade de direitos, além de combate a todo tipo de violência praticada contra as mulheres.

O Viagora conversou com a delegada Vilma Alves, titular da Delegacia da Mulher em Teresina, que relata algumas conquistas das mulheres na sociedade, e principalmente que houve um avanço nas denúncias de violência.

"A mulher brasileira conseguiu sair do privado, do seu casulo, e ir para o público. São conquistas fundamentais, temos que comemorar", declarou a delegada

Foto:ViagoraDelegada Vilma Alves fala sobre o trabalho há 30 anos
Delegada Vilma Alves.

Sobre o assunto a delegada explica: “A mulher tinha medo de ir as delegacias até porque elas eram distritais, só ocorreu a mudança a partir de 1985, quando se criou as primeiras delegacias de Defesa dos Diretos da Mulher. Depois da constituição as mulheres foram se preparando, a exemplo disso, eu mesma fui escolhida no Brasil para o curso de formação de liderança feminina, fazíamos a multiplicação do conhecimento para incentivar as mulheres e fomos e estamos ganhando, a mulher está conquistando força e voz, porque nós não tínhamos voz de acordo com a Constituição, e a mulher agora tem mais garra de denunciar seus agressores. Além disso, com a Lei Maria da Penha ficou melhor, porque deu resultado, a mulher via o marido preso, o agressor preso em flagrante, coisa que não acontecia no Código Penal de 1940”, destacou.

Segundo a delegada, a violência contra a mulher está ligada a cultura “machista”. “A questão da violência contra a mulher é cultural, é o machismo, o homem tem que ser bravo, fala grosso, tem que bater, já a mulher tem que ser submissa, só que nós subimos o primeiro grau em relação a violência da conquista das mulheres. Ela não pode ficar onde quer que é importunada, é assediada, perseguida, estuprada, xingada e humilhada de todas as formas, então é preciso ainda a geração futura que deve continuar com essas grandes conquistas e lutas”, explica.

A delegada também deixa uma mensagem para as mulheres teresinenses.“Eu sou mulher de esperança, futuro e liberdade, o meu ideal é de liberdade. Quanto mais a mulher tomar consciência de que ela é uma cidadã, nasce nela o direito de liberdade, eu comparo a mulher como uma águia que percorre, voa, passa um tempo e ela tem que tirar todas as garras, toda a plumagem para nascer outra assim são as mulheres. As mulheres do futuro chegarão ao ponto que nós teremos de ser respeitadas de igual para igual”, finalizou.

Facebook
Indicado para você
Veja também