Viagora

Acusado de mandar matar ex-prefeito de Altos vai a júri popular

Esta já é a segunda vez que o acusado é submetido a Júri Popular. Em 2016 Antônio Orlando da Silva foi julgado pelo crime, mas apesar do Júri reconhecer sua autoria, o mesmo foi absolvido do caso.

O réu Antônio Orlando da Silva acusado de mandar matar o ex-prefeito de Altos, César Augusto Leal Pinheiro, quando a época era vice-prefeito da cidade, será submetido a julgamento na 1ª Vara do Tribunal do Júri em 24 de agosto. A sessão ocorrerá no auditório do Fórum Cível e Criminal de Teresina.

Segundo denúncia do Ministério Público do Piauí (MPPI), o assassinato foi registrado no dia 11 de abril de 1996, na residência da própria vítima. O ex-prefeito foi morto com três tiros que atingiram a região do braço, ouvido e nuca causando morte imediata do então gestor municipal.

Foto: Arquivo PessoalCésar Leal, prefeito de Altos em 1996
César Leal, prefeito de Altos em 1996

Esta já é a segunda vez que o acusado é submetido a Júri Popular. Em 2016 Antônio Orlando da Silva foi julgado pelo crime, mas apesar do Júri reconhecer a autoria da acusação, o mesmo foi absolvido do caso.

Acusado de execução

Após 23 anos do crime, o homem identificado como Raimundo Nonato Alves da Silva acusado de matar o ex-prefeito de Altos foi julgado e condenado a 19 anos e nove meses de prisão no dia 25 de novembro de 2019.

Entenda o caso

Conforme o Ministério Público do Piauí (MPPI), o crime teria sido premeditado e Raimundo Nonato foi contratado pelo então ex-vice prefeito de Altos para matar César Leal. No acordo o acusado de matar a vítima recebeu uma quantia de R$ 10 mil para cometer o homicídio.

Ainda segundo o órgão ministerial, no dia do ocorrido Raimundo Nonato se deslocou até a casa do então prefeito César Leal e iniciou uma discussão com a vítima por motivo banal. Logo após o autor do crime teria esperado o homem sair andando e efetuou três disparos de arma de fogo à curta distância. César Leal morreu no local do crime.

Facebook
Indicado para você
Veja também