Viagora

Professores da UESPI estão em greve há mais de 20 dias

A Associação dos Docentes da Uespi (Adcesp SSind) vai realizar uma Assembleia Geral nesta sexta-feira (26), a partir das 09h em frente a reitoria, no Campus Torquato Neto, em Teresina.

Os docentes da Universidade Estadual do Piauí (UESPI) estão em greve há mais de 20 dias reivindicando recomposição de perdas inflacionárias no salário dos professores da instituição. A Associação dos Docentes da Uespi (Adcesp SSind) vai realizar uma Assembleia Geral nesta sexta-feira (26), a partir das 09h em frente a reitoria, no Campus Torquato Neto, em Teresina.

A Adcesp SSind informou que a categoria sofre com defasagem acumulada em mais de 68%, pois há 10 anos não ocorre o reajuste salarial. A greve geral, que tem como lema "Eu vivo a UESPI", foi deflagrada em 2 de janeiro deste ano e desde então os professores tem buscado diálogo com o Governo do Piauí para solucionar o caso, mas até o momento não houveram avanços nas negociações.

“Não bastasse esta indisposição para avançar na negociação sobre a nossa grave realidade salarial, o governador Rafael Fonteles, sem nenhum diálogo, tentou, no final de 2023, alterar o Plano de Cargos, Carreira e Remuneração da categoria docente, através do PLC N.09/2023, que precarizaria ainda mais as relações de trabalho docente, enfraquecendo a pesquisa e a extensão universitárias”, informou o sindicato.

Nesta quinta-feira (25), os professores denunciaram, através das redes sociais, que pelo menos 64 docentes da instituição tiveram descontos no salário alegando falta.

Os docentes se mostram ainda contrários ao Projeto de Lei Complementar (PLC) 09/2023, encaminhado pelo governador à Assembleia Legislativa do Piauí (Alepi) em 2023. Isto porquê o PLC prevê aumento na carga horária obrigatória em sala de aula e para os professores esta medida desrespeita a autonomia universitária e o princípio constitucional da indissociabilidade entre ensino, pesquisa e extensão.

Outro lado

O Viagora procurou a Universidade Estadual sobre o assunto, mas até o fechamento da matéria não obtivemos resposta.

Facebook
Indicado para você
Veja também