Viagora

Wellington Dias quer mapeamento das zonas de risco e alagamento

O governador esteve reunido com sua equipe de governo nesta terça-feira (04), para discutir estratégias devido aos estragos das chuvas.

Nesta terça-feira (04), o governador Wellington Dias esteve reunido com sua equipe de governo no escritório da Residência Oficial, para discutir estratégias com o objetivo de auxiliar as famílias afetadas pelas enchentes decorrentes das intensas chuvas no Piauí.

Segundo o governo, na ocasião foram determinadas ações de mapeamento para identificar os pontos que alagam, o monitoramento dos rios e o incentivo para que as pessoas que precisam sair de casa, possam se abrigar com familiares. As ações serão realizadas pelas defesas civis municipais, sob a orientação da Secretaria de Estado da Defesa Civil.

  • Foto: Divulgação/CComWellington Dias em reunião com a equipe de governo.Wellington Dias em reunião com a equipe de governo.

Wellington Dias afirma que o alerta é geral e que durante este período a situação é atípica com o volume intenso de chuvas, que estão causando transtornos nas cidades.

“Neste inverno temos uma situação atípica, com chuvas em volume muito elevado que acabam causando transtornos nas cidades e por isso estamos fazendo um alerta geral para que as defesas civis municipais possam fazer um mapeamento das áreas de risco e, a partir daí, um monitoramento para evitar mais prejuízos e situações de risco nas estradas. Vamos dar toda a assistência necessária”, afirmou.

O gestor da Secretaria de Estado da Assistência Social, Trabalho e Direitos Humanos (Sasc), José Santana, explica que o trabalho de assistência imediata já está sendo realizado em diversas cidades, com o fornecimento de colchões, cestas básicas e abrigos nas escolas.

Já o secretário da Defesa Civil, José Augusto Nunes ressalta que o Governo do Piauí já realiza ações de resposta ao desastre nos municípios de Uruçuí, Baixa Grande do Ribeiro, Ribeiro Gonçalves, Floriano e Teresina.

“Estamos preparando agora os municípios da área do Rio Parnaíba e seus afluentes, além de estar dialogando com todos os municípios que, ou padecem de seca, ou precisam de apoio nesse momento das enchentes. É uma ação colaborativa de todos os entes. Essa integração permite que encontremos soluções com agilidade e viabilidade para essas comunidades”, disse.

De acordo com o comandante do Corpo de Bombeiros, José Rêgo, as ações de monitoramento serão estendidas para os outros municípios ribeirinhos.

“No primeiro momento vamos fazer uma vistoria nas cidades ribeirinhas, como Teresina, Miguel Alves e Esperantina, mantendo um diálogo com as equipes municipais da Defesa Civil e orientando sobre como podem atuar. No segundo momento, vamos adquirir equipamentos para auxiliar durante as ações. Em Teresina, as famílias já estão sendo retiradas das áreas de risco e levadas para a casa de familiares, escolas e áreas determinadas pela administração municipal, priorizando o acolhimento nas casas dos familiares”, declarou.

Para a vice-governadora Regina Sousa, o trabalho de planejamento e prevenção é essencial neste momento. “Também temos que trabalhar para amenizar a dor daquelas pessoas que perderam suas coisas e tiveram que sair das suas casas. É nesse sentido que o Governo do Estado está se preparando, juntamente com as prefeituras. Vamos monitorar as barragens, prevenindo sempre para que não aconteça o pior”, pontuou.

Facebook
Indicado para você
Veja também