Viagora

Projeto de Leitura no sistema prisional já tem mais de 500 internos no Piauí

O projeto tem o objetivo de incentivar a leitura, cultura e educação utilizando as obras literárias nacionais e internacionais

Nos primeiros quatro meses de 2022, o projeto Leitura Livre do sistema prisional do Piauí, que foi desenvolvido em 2017, tem cerca de 562 participantes. O projeto tem o objetivo de incentivar a leitura, cultura e educação utilizando as obras literárias nacionais e internacionais.

O projeto consiste em cada livro lido e resenhado pelo reeducando, ele poderá ter até quatro dias de remição da pena, segundo a resolução do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) de 2021, o interno poderá ler 12 obras ao ano e ter 48 dias de redução da pena.

De acordo com informações divulgadas pelo Governo do Estado, nessas primeiras semanas de abril os internos das unidades penais de São Raimundo Nonato e de Floriano concluíram o quinto e o décimo primeiro ciclo do projeto respectivamente.  Segundo a coordenadora do projeto Emanuele Leal, todas as 17 unidades penais no Piauí têm o projeto implementado.

“O projeto começou um pouco devagar, mas desde 2021 e, principalmente, agora, em 2022, já teve grande avanço. Ele está implantado em todas as 17 unidades penais do Piauí. Tivemos uma conscientização dos funcionários e diretores sobre a importância desse projeto e ele está a todo vapor, tanto que de janeiro até abril já temos quase 600 internos participando. Semanalmente, recebemos resumos das obras feitas pelos internos. É um projeto lindo, no qual o interno tem a oportunidade de ter acesso à leitura, mergulhar no livro e, também, ter o direito da remição de pena”, fala a coordenadora.

Ainda segundo informações do Governo do Estado do Piauí, os detentos tem acesso a títulos literários como “o Cortiço” de Aluísio de Azevedo, “Hora da Estrela”, de Clarice Lispector, e Dom Casmurro de Machado de Assis.

por Amanda Santiliana

Facebook
Indicado para você
Veja também