Viagora

Justiça Eleitoral lança ferramenta de combate a fake news

A ferramenta, visa o combate as fake News sobre as eleições e sistema eletrônico de votação que causam danos negativos na democracia do país.

Na terça-feira (21), a Justiça Eleitoral exibiu o Sistema de Alerta de Desinformação Contra as Eleições, onde cidadãos poderão comunicar sobre o recebimento de notícias falsas ou manipuladas sobre o processo eleitoral brasileiro como: vídeos, áudios e textos contendo inverdades.

A ferramenta está disponível no site do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) em “Envie Seu Conteúdo”. Visa o combate as fake News sobre as eleições e sistema eletrônico de votação que causam danos negativos na democracia do país.

De acordo com o TSE, as denúncias serão repassadas às plataformas digitais e agências de checagem parceiras da Corte Eleitoral no Programa de Enfrentamento à Desinformação para rápida contenção. Dependendo da gravidade do caso, os relatos recebidos também poderão ser encaminhados ao Ministério Público Eleitoral (MPE) e demais autoridades para adoção das medidas legais cabíveis.

Infrações eleitorais relacionadas à propaganda eleitoral ou mensagens com desinformações contra candidaturas deverão ser reportadas no aplicativo Pardal, que também já está disponível para download na Google Play e na Apple Store. Acesse o Sistema de Alerta de Desinformação Contra as Eleições.

De acordo com o TSE, nas Eleições Municipais de 2020, o canal exclusivo da Justiça Eleitoral com o WhatsApp – que integrava parte do memorando de entendimento firmado entre a empresa e o TSE – recebeu mais de 5.229 denúncias de comportamentos inautênticos. Por meio da iniciativa, o aplicativo de mensagens baniu 1.042 contas que fizeram disparos em massa naquele pleito.

Atualmente, o TSE mantém acordos de cooperação com: Google Brasil, YouTube, Facebook, Instagram, WhatsApp, Telegram, Kwai, TikTok, LinkedIn, Twitter e Spotify. O Presidente do TSE, Ministro Edson Fachin, informa: “Com isso, reitero que a Justiça Eleitoral está preparada para conduzir as Eleições de 2022 de forma limpa e transparente, como tem feito nos últimos 90 anos”, finaliza o presidente.

Facebook
Indicado para você
Veja também