Viagora

OMS anuncia resposta unificada contra Varíola dos Macacos

De acordo com a OMS, a medida pretende facilitar uma resposta unificada ao vírus, distinguindo países endêmicos e não endêmicos.

Foi comunicado nesse sábado (18), pela Organização Mundial da Saúde (OMS), que vai suprimir de suas estatísticas a distinção entre países endêmicos e não endêmicos quanto ao vírus “Monkeypox”, popularmente conhecido como Varíola dos macacos.

De acordo com a OMS, a medida pretende facilitar uma resposta unificada ao vírus. “Estamos eliminando a distinção entre países endêmicos e não endêmicos, informando sobre os países juntos sempre que for possível, para refletir a resposta unificada necessária”, ressalta o comunicado da OMS.

A varíola dos macacos, antes era considerada endêmica, ou seja, que circula o ano todo em um país, com volume esperado de casos e óbitos, pois permanecia em países da África Central e da África Ocidental. Porém, nos últimos meses houve casos da doença em diversos países não endêmicos, especialmente na Europa, que já responde por 84% dos casos que foram notificados, segundo a OMS.

Apesar de neste ano já existir 2.103 casos confirmados entre o dia 1 de janeiro e 15 de junho, em 42 países, a OMS acredita que esse número seja ainda maior. “É provável que o número real de casos permaneça subestimado. Isso pode ocorrer em parte devido à falta de reconhecimento clínico precoce de uma doença infecciosa que se pensava ocorrer principalmente na África Ocidental e Central, uma apresentação clínica não grave para a maioria dos casos, vigilância limitada e falta de diagnósticos amplamente disponíveis”, disse a organização.

Porém, por enquanto, a OMS avalia a doença como de risco moderado, por ser a primeira vez que se dão focos de contágio em países não endêmicos, e muito distantes entre si.

Transmissão

A varíola dos macacos é uma doença viral. Ela, pode ser transmitida por contatos próximos de pessoas infectadas e que tenham lesões na pele. Ela pode ser transmitida por abraços, beijos, massagens ou relações sexuais. Além de serem transmitidas por secreções respiratórias e pelo contato com objetos, como roupas ou objetos que estiveram em contato com o infectado.

Para se prevenir, a pessoa deve evitar ao máximo o contato próximo com quem estiver doente até que todas as feridas tenham cicatrizado, assim como evitar qualquer contato com objetos que estiveram com a pessoa. Vale também lembrar de sempre higienizar as mãos, usando álcool em gel ou levando com água e sabão.

Com informações da Agência Brasil.

Facebook
Indicado para você
Veja também