Viagora

Sesapi anuncia abertura de 30 novos leitos de UTI para Covid-19

De acordo com a Sesapi, a reabertura dos leitos é resultado de uma solicitação do Comitê de Operações Emergenciais (COE) após o aumento da taxa de ocupação dos leitos atingir 89% no Estado.

Nesta terça-feira (19), a Secretaria de Estado da Saúde (Sesapi), por meio do secretário Neris Júnior, anunciou a reabertura de mais de 30 leitos de UTI para tratamento de pacientes diagnosticados com a Covid-19 no Piauí. Os leitos serão divididos entre os hospitais de Teresina, Oeiras, Floriano, Parnaíba e Piripiri.

De acordo com a Sesapi, a reabertura dos leitos é resultado de uma solicitação do Comitê de Operações Emergenciais (COE) após o aumento da taxa de ocupação dos leitos atingir 89% no Estado.

Foto: Divulgação/SesapiSecretário Neris Júnior em reunião sobre casos de covid-19.
Secretário Neris Júnior em reunião sobre casos de covid-19.

Ainda segundo a pasta, o Piauí possui atualmente 38 leitos em funcionamento para receber pacientes com a doença. Com os novos leitos o número chega a 68 unidades de terapia intensiva, exclusivas para o tratamento de Covid-19.

A Sesapi informa que a distribuição dos 30 leitos será da seguinte forma: cinco deles serão no Instituto de Doenças Tropicais Natan Portela (IDTNP), em Teresina; cinco no Hospital Regional Deolindo Couto, em Oeiras; cinco leitos no Hospital Regional Tibério Nunes, em Floriano; cinco no Hospital Estadual Dirceu Arcoverde (HEDA), em Parnaíba; cinco leitos no Hospital Regional Chagas Rodrigues, em Piripiri e cinco no Hospital Regional Justino Luz, em Picos.

Conforme o relatório diário de ocupação de leitos covid-19, dos leitos disponíveis no Estado 198 estão ocupados, sendo 141 leitos clínicos, 51 UTI’s e 6 leitos de estabilização. Os dados também apontam que a taxa de ocupação chega a 84% no interior do Estado, devido o aumento dos casos da doença.

Por fim, o secretário de saúde, Neris Júnior, fez uma alerta para os piauienses neste período de férias que pode gerar aglomerações, por isso é necessário o uso de máscaras, bem como a adoção das medidas sanitárias.

“As férias acabam provocando aglomerações e, consequentemente, é o momento de intensificar o uso de máscaras e também da vacinação de reforço para reduzir o risco da população ser internada por causa da doença”, explica.

Facebook
Indicado para você
Veja também