Geral

Bolsonaro diz que auxílio emergencial será estendido com valor menor

De acordo com Bolsonaro, ele já teria conversado com Guedes sobre estender as parcelas do auxílio, no entanto, seriam em valores menores.
23/05/2020 09h29 - atualizado

Na noite dessa sexta-feira (22), o presidente Jair Bolsonaro disse que o pagamento do auxílio emergencial pode ser estendido por mais alguns meses, porém, com uma diminuição no atual valor que é repassado.

O presidente informou que já conversou com o ministro da Economia, Paulo Guedes, para que as parcelas do auxílio sejam estendidas por até dois meses, mas afirma que não será no valor de R$ 600, que é pago atualmente.

“Conversei com o Paulo Guedes que nós vamos ter que dar uma amortecida nisso aí. Vai ter a quarta parcela, mas não de 600 reais. Não sei quanto vai ser, R$ 300 reais, R$ 400. E talvez tenha a quinta, talvez seja de R$ 200 ou R$ 300. Até para ver se a economia pega”, disse o presidente em entrevista à Rádio Jovem Pan.

Em uma reunião com empresários na última terça-feira (19), o ministro Paulo Guedes disse que poderia haver a possibilidade do auxílio ser estendido por um ou dois meses, mas afirmou que o valor pago seria de R$ 200. O secretário especial de Fazenda, Waldery Rodrigues, indicou nessa quinta-feira (21) que o prolongamento do pagamento do auxílio deve ter como base os valores pagos pelo programa Bolsa Família, em média de R$ 190.

Nessa sexta-feira (22), a Caixa Econômica Federal começou a pagar a segunda parcela do auxílio emergencial para os beneficiários do programa Bolsa Família que possuem o Número de Inscrição Social (NIS) com o final 5. Ainda nesta semana, a Caixa deu início ao pagamento da primeira parcela para 405.163 mil pessoas.

Mais na Web