Piauí

Covid-19: Wellington diz que vacinação poderá começar em janeiro

Segundo o governador, a expectativa é que os testes sejam finalizados ainda neste mês de dezembro e que em janeiro já seja possível iniciar a imunização contra a Covid-19.
01/12/2020 15h03 - atualizado

No início da tarde desta terça-feira (01), o governador Wellington Dias realizou uma transmissão ao vivo sobre medidas de combate à pandemia, destacando que o Governo do Piauí não tem plano para a adoção de um novo lockdown, e afirma que a expectava é que no mês de janeiro seja iniciado a vacinação contra a Covid-19.

Segundo o governador Wellington Dias, foi observado um crescimento dos casos da Covid-19 em vários países e em estados brasileiros, mas destaca que o Governo do Piauí, junto com a Secretaria de Estado da Saúde (Sesapi), não têm plano para a adoção de medidas mais rígidas de isolamento, como o lockdown, levando em consideração a redução no número de morte e casos confirmados no Piauí.

“Nós temos uma realidade em vários estados do Brasil em que tivemos o crescimento da presença do coronavírus, ou seja, houve o que se chamou de segunda onda e temos que ter todos os cuidados. Mas eu quero dizer aqui que não há nenhuma decisão tomada pelo Governo do Piauí de lockdown. Porque a meta que estabelecemos é evitar exatamente uma situação em que a gente precise de chegar ao extremo, como é o caso de uma implantação de um sistema de lockdown. O que nós vamos seguir trabalhando é o cumprimento das regras que foram estabelecidas”, comenta o governador.

  • Foto: Divulgação/Governo do PiauíGovernador Wellington DiasGovernador Wellington Dias

Já em relação a vacina contra a Covid-19, Wellington afirma que a imunizante de Oxford, AstraZenca, e a Coronavac já estão sendo testadas em Salvador por meio do Consórcio Nordeste, acompanhadas por um Comitê Científico. O governador explicou que a expectativa é que neste mês de dezembro os testes sejam finalizados e que em janeiro seja possível iniciar o processo de vacinação contra o novo coronavírus.

“Essas vacinas, nós temos a chance muito grande, especialmente a Coronavac e a AstraZenca, de ter conclusão [...] prevista para dezembro. Nós temos chances reais de agora nesse mês de dezembro ter a conclusão desses testes. Eu coordeno, em nome do Fórum dos Governadores, essa pauta da vacinação e nela, nós colocamos como prioridade que o Brasil use a primeira vacina que ficar pronta no plano nacional de imunização. Segundo, que a Anvisa pudesse garantir que tivesse um processo emergencial para a autorização. Normalmente levaria oito, dez meses, às vezes dois anos para poder após a conclusão dos testes ter a autorização. Não, nesse caso nós queremos que seja célere, por isso que a Anvisa já acompanha na fase de teste e com isso, tem aí uma expectativa muito positiva pra que a gente conclua os teste em dezembro e em janeiro a gente já tenha condições de aplicação de vacina”, explica o governador.

Mais na Web