Política

"É motivo de trabalhar mais", diz Dr. Pessoa sobre liderar pesquisas

Segundo Dr. Pessoa, no encontro que teve com Wellington não foi firmado nenhum acordo, mas relata que pode haver a possibilidade de apoio do PT no segundo turno.
25/08/2020 06h25 - atualizado

Em entrevista ao Viagora, o pré-candidato à Prefeitura de Teresina, Dr. Pessoa (MDB), fez declarações sobre os resultados das pesquisas que mostram que ele aparece em primeiro lugar nas intenção de votos e sobre uma possível aliança com o governador Wellington Dias (PT), no segundo turno nas eleições deste ano.

Na avaliação de Dr. Pessoa o resultado das pesquisas é uma forma de incentivo para que ele continue trabalhando, e afirma que algumas pesquisas tiveram o resultado “maquiado” para favorecer outras pessoas. Ele diz ainda que nas pesquisas internas, ele aprece com cerca de 35% das intenções de votos.

“É motivo de trabalhar mais ainda. Esta [pesquisa] está no rumo certo, esta que foi feita agora do Amostragem. A outra foi maquiada, foi direcionada. Como é que um candidato tem 3,5% e cai para 9%? Diz que tá em crescimento, que o povo tá entendendo o que é o pré-candidato aí, pra dá continuidade. Tem pesquisas internas que eu estou sempre em torno de 35% a 36%. Eu estou agradecendo ao povo do Piauí, ao povo de Teresina, de ter uma pesquisa que me mantém em primeiro lugar bem distante do segundo lugar, e o terceiro lugar que foi maquiado a pesquisa anterior."

  • Foto: Lucas Klisman/ViagoraDr. Pessoa (MDB)Dr. Pessoa (MDB)

Sobre o encontro com o governador Wellington Dias, Dr. Pessoa relata que foi a convite do deputado Themístocles Filho (PMDB), ocasião em que também esteve presente o deputado federal Marcelo Castro (PMDB), e afirma que não foi firmado nenhum acordo com o governador.

“Eu fui lá a convite do Marcelo e do Themítocles. O Marcelo foi tratar de obras para o estado do Piauí, não foi para Teresina. Lógico que teve a conversação política, não foi o foco principal. Eu fui convidado por Themítocles. Conversação existe, mas  não teve acordo nenhum. Aí onde vem a mentira, não teve acordo [...] Não estou amparado pelo governador, não estou nos berços do Governo Estadual", disse o pré-candidato.

Caso ocarra, um segundo turno, Dr. Pessoa não descarta o apoio de Wellington e de outros pré-candidatos, ressaltando ser apenas uma possibilidade, sem haver nada acordado ainda.

“Agora numa eventualidade de segundo turno, se a gente não ganhar no primeiro, aí o governador disse ‘num segundo turno vamos conversar’. Aí sim o governador perguntou se havia possibilidade. Eu particularmente conversei com o Valter Alencar e ficou acertado que se ele fosse para um segundo turno eu iria apoiar, se eu fosse ele apoiaria. Tudo é já trabalhando uma possibilidade no segundo turno. É uma possibilidade. Não só com o PT, mas com qualquer outro partido”, comenta Dr. Pessoa.

Mais na Web