Piauí

Homem é condenado a 26 anos de prisão por matar grávida em Guadalupe

Conforme a decisão, o réu foi condenado a uma pena de 26 anos e 08 meses de reclusão, a ser cumprida em regime fechado na Penitenciária de Floriano.
01/07/2021 11h00

Nessa terça-feira (29), o Grupo de Apoio aos Promotores de Justiça com Atuação no Tribunal do Júri (GAEJ), representado pelo promotor de Justiça, João Malato Neto, obteve a condenação do réu Rocildo Pereira Araújo pelo crime de feminicídio.

O julgamento foi realizado na Comarca de Guadalupe em sessão presidida pelo juiz Marcus Antônio Sousa e Silva. Conforme a decisão, o réu foi condenado a uma pena de 26 anos e 08 meses de reclusão, a ser cumprida em regime fechado na Penitenciária de Floriano.

Segundo o MPPI, Rocildo Pereira Araújo foi levado a julgamento pela prática do crime de homicídio qualificado pelo motivo fútil, utilizando-se do recurso que impossibilitou a defesa da vítima e feminicídio (artigo 121, §2º, II, IV e VI, todos do Código Penal), com a causa de aumento de pena da prática de crime durante a gestação (artigo 121, §7º, I, do Código Penal).

O promotor, João Malato, destaca que o crime gerou grande repercussão na cidade. “Este crime à época dos fatos causou grande repercussão na sociedade de Guadalupe, fazendo com que a população local clamasse por justiça em virtude da violência e da covardia de mais um crime de feminicídio cometido, contra uma vítima no seu sexto mês de gestação”, afirmou o promotor João Malato.

O caso

No dia 24 de janeiro de 2018, o acusado teria assassinado Natália, que na época estava grávida de seis meses, com seis golpes de faca nas dependências de uma residência situada no bairro Cruzeta, em Guadalupe.

De acordo com os autos do processo, na noite do crime a vítima teria se deslocado até a residência do réu, e após uma discussão, foi surpreendida pelo acusado com golpes de faca, sem sequer chances de se defender, na sequência o acusado fugiu do local e seguiu para a cidade de São João dos Patos (MA).

Mais na Web