Saúde

Ministério da Saúde discute ações para conter novas cepas da Covid

De acordo com o Ministério da Saúde, a meta é evitar que novas variantes da Covid-19 se espalhem pelo Brasil.
23/05/2021 16h46

O Ministério da Saúde informou que vem discutindo ações junto com a prefeituras de São Paulo e de Guarulhos para evitar que novas variantes da Covid-19 se espalhem pelo país.

De acordo com a pasta, as cidades de Guarulhos, sede do aeroporto internacional mais movimentado do país, e de São Paulo são focos de maior preocupação em relação a uma possível disseminação de mutações do vírus causador da Covid-19, em particular, a cepa da Índia (B.1.617) que foi recentemente identificada no Brasil.

Neste sábado (22), o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, conversou com o prefeito de Guarulhos, Gustavo Henric Costa, e com o secretário municipal de Saúde de São Paulo, Edson Aparecido. Também participaram da conversa técnicos da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e da coordenadoria de Vigilância em Saúde da capital paulista, além do secretário-executivo da secretaria estadual de Saúde, Eduardo Ribeiro Adriano.

Na oportunidade, o secretário municipal de Saúde de São Paulo apresentou ao ministro o plano de ações municipais para tentar prevenir, identificar e controlar a disseminação de eventuais novas variantes do novo coronavírus na cidade de São Paulo. O plano prevê medidas como a tentativa de identificar pessoas com sintomas da doença em aeroportos, terminais rodoviários e rodovias de acesso a São Paulo. Uma vez identificadas por meio da aferição da temperatura, as pessoas sintomáticas serão testadas e, em caso positivo para covid-19, deverão ser isoladas.

Durante a reunião de hoje, o ministro Marcelo Queiroga manifestou maior preocupação com a variante B.1.617. “Considerando que São Paulo é a maior cidade do país e Guarulhos o maior aeroporto, devemos reforçar a vigilância para que essa variante não se espalhe pelo Brasil” disse o ministro da Saúde.

Em nota, a Anvisa informou que já trabalha dentro de aeroportos e portos de todo o país abordando passageiros e procurando detectar casos suspeitos informados às secretarias estaduais e municipais para que estas verifiquem se são infecções e, também, as pessoas que tiveram contato recente com quem testou positivo. E informou que o Brasil vetou a entrada de passageiros provenientes da Índia, Reino Unido, Irlanda do Norte e África do Sul.

Mais conteúdo sobre:

Mais na Web