Piauí

Ministério Público discute ocupação de leitos de UTI dos hospitais de Teresina

Foi realizada uma audiência extrajudicial a fim de apurar a ocupação duradoura dos leitos na capital.
30/09/2021 07h36 - atualizado

O Ministério Público do Estado do Piauí, por intermédio da 29ª Promotoria de Justiça de Teresina, com a coordenação do Promotor de Justiça, Eny Marcos Pontes, realizou audiência extrajudicial virtual com representantes de saúde, a fim de apurar a ocupação duradoura dos leitos das Unidades de Terapia Intensiva (UTI) dos hospitais da capital.

Conforme o MPPI, o debate foi iniciado pelo gerente médico da UTI Pediátrica do HUT, Carlos Leonardo e Bento dos Santos, o mesmo destacou que 4 dos 10 leitos destinados ao público infantil estão ocupados por pacientes crônicos. O Diretor Geral do HUT, Fábio Marcos de Sousa, acrescentou também que o setor da enfermaria é responsável pela assistência e já está com taxa de ocupação em 100%.

Segundo o órgão ministerial, a Diretora Técnica Assistencial do Hospital Infantil Lucídio Portela (HILP), Leiva de Souza Moura, explicou que o local passou por reformas e possui capacidade para o funcionamento de mais 9 leitos de UTI pediátrica. No entanto, o que falta é a equipe de médicos, enfermeiros e fisioterapeutas, o que impossibilita a transferência dos pacientes do HUT.

O Diretor da Rede de Urgência e Emergência (RUE) da Secretaria de Estado do Piauí (SesaPI), Telmo Gomes, também esteve na reunião. ‘’Tivemos uma pausa por conta da pandemia, mas essa semana já voltamos a discutir sobre o assunto em reuniões. Um quadro de desospitalização envolve o Município e o Estado, mas o Ministério da Saúde também deve auxiliar’’, disse o diretor.

Segundo o MPPI, outro encaminhamento definido durante a reunião foi uma vista técnica com a Sesaoi ao Hospital Infantil para analisar o novo espaço e discutir sobre a definição de equipe completa para que haja mais leitos de UTI pediátrica.

Mais na Web