Piauí

MP cobra na Justiça prestação de contas da Fundação Valter Alencar

O órgão ministerial também solicitou de mais 3 fundações a apresentação de forma voluntária as prestações de contas referentes aos anos de 2009 a 2018.
02/02/2021 11h33 - atualizado

O Ministério Público do Piauí, através da 27ª Promotoria de Justiça de Teresina, ajuizou quatro ações civis públicas para exigir as prestações de contas de quatro fundações de apoio de Teresina.

As entidades que o Ministério Público solicita às prestações de contas são as seguintes: Fundação dos Trabalhadores em Condomínio e Edifício do Estado do Piauí (FUTCEEPI), Comissão Organizadora do Encontro de Fisioterapia Beneficente, Fundação da Hotelaria e Gastronomia no Piauí (FHG/PI) e Fundação Valter Alencar. O autor dos pedidos é o promotor de Justiça Antônio de Moura Júnior.

As ações são resultado do acompanhamento da situação de longa inadimplência das fundações privadas de Teresina junto ao Ministério Público do Estado, o que vem sendo objeto de diversos procedimentos administrativos.

O órgão minsiterial solicitou as fundações que apresentassem de forma voluntária a prestação de contas referente aos anos de 2009 a 2018; o que não foi atendido pelas instituições.

De acordo com o MPPI, o ajuizamento das ações está fundamentado, sobretudo, nos artigos 66 do Código Civil, 497 do Código de Processo Civil, e 9º do Ato PGJ nº 666/2017, que elencam um série de ações a serem adotadas pelo Ministério Público quando uma fundação não apresenta sua prestação de contas à instituição ministerial.

A 27ª Promotoria de Justiça de Teresina, segundo a Resolução CPJ/PI nº 03/2018, detém a atribuição de promover ações, medidas e procedimentos de natureza administrativa ou civil que tratam acerca do funcionamento, da gestão, da destinação de patrimônio ou outras matérias de natureza estatutária, de Organizações da Sociedade Civil de Interesse Público (OSCIPs), entidades religiosas, filantrópicas ou outras de natureza associativa e sem fins lucrativos, e nelas oficiar, por distribuição equitativa.

Outro lado

Procurado pelo Viagora, o presidente da Fundação Valter Alencar Henrique Rebelo, falou sobre o assunto.

"Estamos cuidando disso, dessa notificação. Nós pedimos um prazo para responder essa demanda e estamos dentro desse prazo", explicou o representante da entidade.

A reportagem também procurou as outras três fundações, mas até o fechamento da matéria nenhum representante foi localizado. O espaço permanece aberto para esclarecimentos.

Mais na Web