Piauí

Piauí é o estado menos violento do Norte e Nordeste, diz pesquisa

Em âmbito nacional, o estado ficou na 5º posição, atrás do DF, Minas Gerais, Santa Catarina e São Paulo.
  • BRUNA LEÃO
28/08/2020 09h50 - atualizado

Piauí é o estado mais seguro do Norte e Nordeste em número de crimes violentos intencionais. Os dados foram divulgados nesta quinta-feira (27) pelo Atlas da Violência 2020, em levantamento feito pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea).

O relatório revela ainda que o Piauí atingiu a marca de 19 assassinatos por grupo de 100 mil habitantes, melhor resultado das duas regiões, com base nos dados do ano de 2018. Já o índice de assassinatos é 31,65% menor que o nacional (27,8 mortes/100 mil habitantes).

Em relação ao ranking nacional, o estado ficou na 5º posição, atrás do Distrito Federal, Minas Gerais, Santa Catarina e São Paulo.

O secretário de Estado de Segurança Pública, coronel Rubens Pereira, atribui acredita que o resultado é fruto do reflexo da política de segurança pública utilizada pelo governo do Estado.  

“O Atlas revela um controle dos eventos que temos na sociedade. Muito depende da sociedade, mas também do esforço que o aparelho de segurança faz para reduzir e estamos fazendo isso com inteligência policial e integrando ações entre as policias, especialmente com operações para combater o tráfico de entorpecentes. Muitos desses homicídios ocorrem nas disputas do tráfico de drogas”, observa o gestor.

Mulher

No que diz respeito aos números de violência contra a mulher, dados oficiais divulgados pela SSP-PI revela que o número de feminicídios registrados entre janeiro e julho deste ano apresenta uma queda de 23% em relação ao mesmo período do ano passado. Ao todo foram 17 mulheres assassinadas em 2019 contra 13 em 2020.

Quanto aos boletins de ocorrência formalizados junto às DEAMs (Delegacias Especializadas de Atendimento à Mulher), o levantamento aponta queda de 20,5% entre os anos de 2019 (3.229 ocorrências) e 2020 (2.567 ocorrências), considerando os meses de janeiro a julho.

Rubens também acredita que o recuo no número de casos de violência contra a mulher se deve às estratégias adotas pela gestão. “Queremos reduzir mais; não nos conformamos. Existem ainda muitos cidadãos e cidadãs que estão morrendo. Não vamos zerar taxas de crimes, mas temos nos esforçado para reduzir e colocá-las em níveis toleráveis para que o piauiense possa viver com tranquilidade”, finalizou.

Mais na Web