Polícia

Polícia deflagra Operação Vênus e prende dois homens em Teresina

Antônio Josenias de Araújo Silva, de 18 anos, e Alisson Marley, de 23 anos, foram presos na zona Sudeste da capital, acusados de tentativa de feminicídio.
13/03/2019 08h50 - atualizado

Na manhã desta quarta-feira (13), policiais civis do Núcleo de Feminicídio prenderam dois homens, identificados como Antônio Josenias de Araújo Silva, de 18 anos, e Alisson Marley, de 23 anos, na zona Sudeste de Teresina, acusados de tentativa de feminicídio.

As prisões ocorrem devido à deflagração da Operação Vênus, que visa cumprir mandados de prisão contra crimes relacionados à violência contra a mulher.

  • Foto: Divulgação/Polícia CivilAntônio Josenias e Alisson Marley foram presos na Operação Vênus.Antônio Josenias e Alisson Marley foram presos na Operação Vênus.

De acordo com informações divulgadas pela delegada Luana Alves, titular do Núcleo de Feminicídio, em entrevista à TV Cidade Verde, o primeiro crime ocorreu em janeiro deste ano, quando Josenias tentou tirar a vida de uma ex-companheira.

“A vítima já sofria agressões e chegou a registrar ocorrência. Ela pediu o divórcio e quando o oficial foi intimar o agressor, o homem não gostou e foi atrás da vítima com uma arma de fogo, onde ele realizou disparos contra ela. Os disparos não chegaram a atingir a vítima em cheio, mas ela ficou lesionada. Além desse crime, ele é suspeito de praticar outros delitos na região”, contou a delegada.

A delegada ainda relatou que o segundo caso ocorreu em fevereiro, quando a vítima decidiu terminar seu relacionamento com Alisson Marley, por não aguentar mais a situação de violência física e psicológica que vivia. Alisson não teria se conformado com o término e invadiu a casa da vítima com uma arma de fogo, onde tentou efetuar disparos contra ela.

“Ele tentou atirar três vezes e só não matou a vítima porque a arma não funcionou. Nisso, ele deu golpes na cabeça dela com a arma e ela ficou gravemente ferida. Ele só não concluiu o intento dele porque algumas pessoas perceberam a situação e vieram intervir, momento que a mulher conseguiu fugir”, explicou Luana.

Segundo a delegada Luana, as prisões são uma resposta da polícia à alta taxa de feminicídios do estado registrada desde o começo de 2019.

“Esse ano, o que a gente vem observando é que ocorreu uma inversão. Ano passado, no começo do ano, nós tivemos mais casos na capital do que no interior. Já nesse ano, o que tem acontecido é quase a morte de uma mulher por semana no interior. No entanto, as tentativas estão aumentando e nós temos atuado o mais rápido possível para que essas tentativas sejam coibidas rapidamente para que não seja consumado o ato”, finalizou.

Mais conteúdo sobre:

Mais na Web