Piauí

Presidente do Sinpoljuspi critica soltura de presos no Piauí

O juiz José Vidal determinou que presos em regime semiaberto poderão cumprir prisão domiciliar durante a pandemia.
25/03/2020 07h00 - atualizado

Após o juiz da Vara de Execuções Penais de Teresina, José Vidal, determinar a soltura de presos do regime semiaberto para cumprir prisão domiciliar, o presidente do Sinpouljuspi- Sindicato dos Agentes Penitenciários do Piauí, Kleiton Holanda, fez duras críticas à decisão.

De acordo com o juiz, a medida foi tomada em decorrência da pandemia do novo coronavírus e deve ser válida até o dia 30 de abril, data aproximada para os términos da quarentena caso não haja um surto maior de propagação. No entanto, o presidente da Sinpouljuspi afirma que a soltura dos presos só preocupa ainda mais a população e aumenta o risco de disseminação da doença.

  • Foto: Divulgação / Lucas Dias - GP1Kleiton HolandaKleiton Holanda

“São cerca de 580 detentos que vão estar soltos sem nenhuma fiscalização ou controle em Teresina, só existem 40 tornozeleiras eletrônicas. Eles vão cometer crimes, vão ter acesso a pessoas com doenças, vão ser presos novamente e enfim contaminar o sistema prisional. Então nós temos a preocupação com a doença e a população que vai estar em contato com esses criminosos”, criticou Kleiton Holanda.

Ainda segundo o presidente do sindicato, a medida causou atrito entre os presos, já que somente os que cumprem regime semiaberto poderão ir para casa. Ele associou a decisão com a fuga dos sete detentos que deixaram o presídio pelo teto da unidade, nessa segunda-feira (24).

“São 10% dos detentos do Piauí que serão soltos, somente alguns serão soltos e os outros já estão se revoltando com a decisão, como foi no caso dos presos que fugiram da Penitenciária Irmão Guido”, finalizou.

Mais conteúdo sobre:

Mais na Web