Política

Senador Elmano Férrer critica situação econômica do país

O parlamentar participou de uma reunião no Senado Federal nessa quinta-feira para discutir o assunto.
  • DA REDAÇÃO
13/09/2019 09h20 - atualizado

Nessa quinta-feira (12) o senador Elmano Férrer (Podemos) participou de uma reunião no Plenário do Senado Federal e falou sobre a situação econômica e fiscal do país nos 25 anos de atuação do Plano Real e pacote de medidas anticrime e anticorrupção.

Na ocasião, o senador chamou atenção dos políticos para a necessidade dos parlamentares de mudar a atual situação do país. “O Brasil encontra-se em uma encruzilhada. Estamos em um momento decisivo de nossa história e precisamos escolher qual caminho devemos trilhar. Podemos optar pela inércia, com a continuação da confrontação odienta na qual os interesses nacionais são sobrepujados por aspirações eleitorais e pela ânsia de criar obstáculos aos adversários políticos. Esse caminho significaria a manutenção da nefasta crise que produziu 13 milhões de desempregados e arruinou a nossa economia, além de prolongar a instabilidade política que vem asfixiando o debate nacional. Devemos colocar nossas divergências de lado, trabalhando para superar as adversidades que apareceram em nosso caminho, temos muito a fazer”, afirmou.

O parlamentar falou, ainda, sobre a necessidade da reforma do sistema previdenciário e a inclusão de estados e municípios. “O Brasil precisa de reformas estruturantes que o recoloquem nos trilhos do crescimento. A reforma do sistema previdenciário, adequando-o à realidade demográfica e econômica do país, é o primeiro passo a ser dado de forma racional e responsável. A necessidade da medida é puramente aritmética, configurando um compromisso com as novas gerações.  A inclusão dos estados e municípios na reforma é crucial para a própria solvência destes entes federativos, pois o déficit estadual vem crescendo em ritmo mais acelerado do que o da união”, argumentou.

Elmano Férrer apontou o desequilíbrio fiscal como um dos causadores da asfixia de investimentos em saúde, educação e segurança pública optando por uma necessidade de modernização do sistema tributário brasileiro. “Hoje, no Brasil, existe um emaranhado de tributos e uma infinidade de regras fiscais que geraram distorções, como o altíssimo custo burocrático de pagar tributos e o enorme contencioso tributário”, alegou o senador. A proposta do parlamentar propõe simplificar e desburocratizar o sistema, substituindo vários tributos por um imposto sobre bens e serviços, além de buscar um novo modelo de partilha da arrecadação que dê fim à guerra fiscal entre entes federativos.

Mais conteúdo sobre:

Mais na Web