Piauí

Transporte Eficiente volta a circular em Teresina após intervenção do MP

Segundo o Ministério Público, a empresa responsável pelo Transporte Eficiente em Teresina iria realizar uma paralisação devido atrasos no pagamento por parte da Strans.
24/02/2021 15h56 - atualizado

O Ministério Público do Piauí (MPPI), por meio da 28ª Promotoria de Justiça, informou que após a promotora Marlúcia Gomes Evaristo entrar em contato com o diretor da Superintendência Municipal de Transporte e Trânsito (Strans), para regularizar a situação da empresa responsável pelo Transporte Eficiente em Teresina, os veículos que prestam esse serviço voltaram a circular.

Segundo o MPPI, na manhã desta quarta-feira (24) estava prevista uma paralização por parte dos trabalhadores da empresa Santa Cruz, que operacionaliza o Transporte Eficiente na capital, devido ao pagamento que estava em atraso. A promotora Marlúcia Gomes entrou em contato com o diretor da Strans, Valdir Lima, que informou que o pagamento foi realizado e a situação regularizada.

Conforme o Ministério Público, os veículos do Transporte Eficiente que circulam na capital voltaram a funcionar ainda nesta manhã. Segundo o MP, a 28ª e a 33ª Promotorias de Justiça irão instaurar procedimento administrativo para apurar o ocorrido.

De acordo com o Ministério Público, no ano de 2020 o órgão obteve uma sentença favorável na Justiça para que fossem definidas algumas medidas para o funcionamento do Transporte Eficiente, dentre elas, o funcionamento de forma ininterrupta durante todos os dias da semana inclusive aos domingo e feriados sem horário pré-estabelecido.

O MP pediu ainda que o agendamento do serviço seja feito por no mínimo quatro telefonistas treinadas para o atendimento; que seja garantido que a pessoa com deficiência possa ser acompanhada por mais de uma pessoa no Transporte Eficiente, desde que comprovada a necessidade por meio cadastramento junto à SEMCASPI. Foi solicitado que a frota seja ampliada para no mínimo três veículos por zona da cidade, assim como um veículo insira nas leis orçamentárias municipais futuras, verba suficiente para ampliar a frota em pelo menos mais um veículo por cada zona anualmente.

Mais na Web