Política

Wellington e governadores divulgam carta sobre alta dos combustíveis

Segundo a nota, o preço do combustível subiu em média 40% em 12 meses, mesmo não havendo aumento no Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços, o ICMS.
21/09/2021 11h41 - atualizado

Nessa segunda (20), o governador do Piauí e presidente do Consórcio Nordeste, Wellington Dias, assinou uma nota de esclarecimento juntamente com outros governadores do país sobre a alta dos preços da gasolina no Brasil.

Segundo a carta, o preço do combustível registrou um aumento de 40% nos últimos 12 meses, mesmo não havendo aumento do Imposto de Circulação de Mercadorias e Serviços, o ICMS, sobre combustíveis nos estados.

De acordo com a nota, por essa alteração não ter sido realizada nesse período seria uma prova de que a alta dos preços é um problema nacional e não dos estados da federação.

Conforme o governo estadual, no Piauí, o ICMS sobre a gasolina se mantém o mesmo desde 2017, correspondendo à 30% do valor final do produto.

  • Foto: Luís Marcos/ ViagoraPosto de gasolinaPosto de gasolina

“Estamos todos preocupados com a escalada dos preços, não somente com relação ao combustível. Queremos uma solução, queremos ajudar, mas precisamos em primeiro lugar estabelecer a verdade”, declara o governador.

Assinam a nota os governadores: Rui Costa (BA), Cláudio Castro (RJ), Flávio Dino (MA), Helder Barbalho (PA), Paulo Câmara (PE), João Doria (SP), Romeu Zema (MG), Ronaldo Caiado (GO), Mauro Mendes (MT), Eduardo Leite (RS), Camilo Santana (CE), João Azevêdo (PB), Renato Casagrande (ES), Wellington Dias (PI), Fátima Bezerra (RN), Renan Filho (AL), Belivaldo Chagas (SE), Reinaldo Azambuja (MS), Ibaneis Rocha (DF) e Waldez Góes (AP).

Confira abaixo a nota na integra:

Os Governadores dos Entes Federados brasileiros signatários vêm a público esclarecer que, nos últimos 12 meses, o preço da gasolina registrou um aumento superior a 40%, embora nenhum Estado tenha aumentado o ICMS incidente sobre os combustíveis ao longo desse período. Essa é a maior prova de que se trata de um problema nacional, e, não somente, de uma unidade federativa. Falar a verdade é o primeiro passo para resolver um problema. Brasília, 19 de setembro de 2021.

Mais na Web