Viagora

MPF cobra providências de Professor Ribinha sobre transporte escolar

O Ministério Público Federal expediu recomendação ao prefeito de Campo Maior para impedir a travessia de alunos em boias do Rio Longá nos períodos de cheias.

O Ministério Público Federal expediu recomendação ao prefeito de Campo Maior, professor Ribinha. A orientação é para que o gestor altere a rota de transporte escolar a fim de que seja disponibilizado ônibus para o atendimento das crianças que moram na localidade “Passagem da Negra”. O objetivo é impedir a travessia de alunos em boias do Rio Longá nos períodos de cheias.

  • Foto: ReproduçãoPrefeito professor Ribinha.Prefeito Professor Ribinha.

A Recomendação nº 1, de 10 de maio de 2018, foi realizada pelo procurador da República Antônio Cavalcante de Oliveira Júnior. O representante do MPF considerou informações divulgadas pelo “Fantástico” no dia 11 de maio deste ano, e pela “Folha de São Paulo” no dia 02 de março.

De acordo com a reportagem da Globo, 30 famílias da zona rural de Campo Maior tiveram suas casas alagadas, de forma que as crianças, em grave risco de vida, precisam atravessar o rio em boias para chegar à escola. Os populares entrevistados informaram que, todos os anos, no período de cheia do Rio Longá, o acesso do transporte escolar fica prejudicado.

Os dados pela prefeitura da cidade confirmam que a cheia do rio ocorre por um ou dois meses durante o ano, quando da ocorrência das grandes chuvas na região.

O procurador da República considerou que “a situação retratada nas reportagens não representa “fato isolado”, em especial quando se observa a notícia de que as cheias do Rio Longá duram entre 30 (trinta) e 60 (sessenta) dias por ano e que todos os anos as crianças precisam se utilizar destas boias para atravessar o rio e chegar à escola”.

Antônio Cavalcante quer receber informações e documentos que comprovem o acolhimento integral da recomendação. Ele não descarta a possibilidade de realizar futuras recomendações ou outras iniciativas, inclusive de tomar medidas judiciais.

Outro lado

O Viagora tentou falar com o prefeito de Campo Maior na manhã deste sábado (12), mas ele não atendeu as nossas ligações. Estamos disponíveis para esclarecimentos.

Facebook
Indicado para você
Veja também