Viagora

Nerinho diz que diálogo com Wellington deve decidir destino partidário

Segundo o deputado, o PL seria o destino, mas com a filiação do presidente Jair Bolsonaro, gerou incerteza no caminho e tudo deverá mudar.

Nessa terça-feira (30), o deputado estadual Nerinho (PTB), falou sobre seu destino partidário que ainda está incerto para 2022 e deve ser decidido após diálogo com o governador Wellington Dias.

Segundo o deputado, até um mês atrás, o PL seria o destino, mas com a filiação do presidente Jair Bolsonaro à sigla, gerou incerteza no caminho e tudo deverá mudar.

  • Foto: Luis Marcos/ ViagoraDeputado NerinhoDeputado Nerinho

"A política a cada momento muda, até pouco mais de um mês nós tínhamos o PL já dado como certo, mas com essa ida do presidente Bolsonaro tudo deve mudar, então tudo isso nós temos que sentar na mesa, pensar e medir para ver o que é o melhor. Temos que ouvir o governador Wellington Dias que acho que é quem vai ter a palavra final quanto a formação desse novo bloco", disse.

O parlamentar afirma que os meses de janeiro e fevereiro serão de muito diálogo para que em março a decisão seja tomada. "Janeiro e fevereiro será de muito diálogo para que em março a gente possa tomar nossa decisão”, afirmou.

Questionado sobre a possibilidade de integrar o MDB, Nerinho ressalta que o partido tem grande amplitude a nível estadual e nacional, e continua crescendo, mas que a partir de agora deve fazer sua decisão mediante reunião com o governador.

“Eu tenho enorme carinho pelo MDB que é um partido que tem história no Piauí e no Brasil e eu não tenho dúvida nenhuma que é um grande partido. Então lá em Picos nós já temos o deputado Severo e o deputado Pablo que são dois deputados atuantes na região e isso vai pesar muito na nossa decisão, a deputada Janaina tem esse mesmo problema na região, então quem vai decidir a palavra final, deve ser o governador Wellington Dias, tenho certeza que ele irá buscar o melhor para todos os parlamentares, uma melhor acomodação para todos os parlamentares", explicou.

O parlamentar destaca que o PSD também é um dos partidosque possam ser seu destino e pontua que o deputado Georgiano fez um excelente trabalho junto com o deputado Júlio César.

“O PSD lógico que é um partido importante, o deputado Georgiano junto com o deputado Julio Cesar fez um excelente trabalho de agremiação, hoje tem mais de 40 prefeitos, penso eu que nas próximas legislaturas terão um número maior de parlamentares estaduais, no mínimo irá permanecer um nome a deputado federal, é um partido sim que tem uma crescente muito forte", pontuou.

Para o deputado os membros do partido que se encontram sem destino partidário, devido a chegada de Bolsonaro ao PL, devem se reunir para articular estratégias políticas e definir junto ao governador o destino desses parlamentares. 

“Eu acho que nós temos que sentar na mesa, todos esses que estão desabrigados, pensar, medir, fazer contas para saber onde melhor tem acomodação dos partidos, hoje de concreto tem quatro partidos que são ligados a base do governo do PT a nível nacional, o PT, o PCdoB, o PSD e o PROS , são esses quatro partidos que são muito ligados ao presidente lula, então temos que primeiramente ver a real possibilidade de fazermos parte de um desses partidos, se não der certo, o governador que vai decidir para onde vamos", declarou.

Facebook
Indicado para você
Veja também