Viagora

Teresina perdeu metade dos passageiros de avião na pandemia, diz IBGE

Ainda segundo a pesquisa, o transporte de cargas em aviões com saída da capital piauiense também apresentou redução de 43,2% no período.

Conforme estudo Redes e Fluxo do Território referente ao período de 2019 e 2020, Teresina registrou uma queda de 49,9% na quantidade de passageiros transportados por via aérea em 2020, quando comparado a 2019. O levantamento foi produzido pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Ainda segundo a pesquisa, o transporte de cargas em aviões com saída da capital piauiense também apresentou redução de 43,2% no período.

O levantamento descreve e analisa a centralidade e as ligações das cidades brasileiras a partir do transporte aéreo. Além disso, a edição 2019-2020 apresentou uma evolução do setor registrado na última década, e também aponta, preliminarmente, o impacto da pandemia de Covid-19 nos fluxos aéreos do período de 2020.

De acordo com o órgão, o estudo reúne dados da Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC), da Secretaria de Aviação Civil do Ministério das Infraestruturas, assim como informações do próprio IBGE.

Os estudos mostram que 1,1 milhão de pessoas partiram de Teresina por via aérea em 2019, já em 2020 o número reduziu registrando apenas 559 mil. O número de passageiros registrado durante o momento pandêmico foi menor até mesmo do que aquele obtido em 2010, no qual 764 mil pessoas viajaram.

Com relação ao transporte aéreo de carga, o levantamento mostra a mesma dinâmica, no período de 2020 foram movimentadas 2,14 mil toneladas a partir de Teresina, já no ano de 2019 o volume foi de 3,78 mil toneladas. Em 2010 a quantidade registrada havia sido de 3,71 mil toneladas.

Segundo o IBGE, a redução da demanda de vôos durante o período pandêmico também impactou na queda do valor médio ponderado das tarifas em quase todos os municípios com aeroportos.

A maior queda foi resgistrada em Brasília, Distrito Federal, com variação de -23,8% na tarifa entre 2019 e 2020. Já Teresina apresentou a menor diminuição do valor, que caiu para -3,1% no período. As variações inferiores foram registradas apenas em São Luís/MA (-2,2%) e Fortaleza/CE (-1,6%).

Além disso, os únicos municípios do país que apresentaram altas na tarifa média ponderada foi Juazeiro do Norte/CE e Uberlândia/MG, com 0,6% e 3,7%, respectivamente.

Situação anterior a pandemia da covid-19:

Os dados do IBGE também mostraram que o arranjo populacional de Teresina, que integra a capital e Timon-MA, é o 24° com maior movimentação de passageiros e cargas, entre os 96 municípios do país que tiveram transporte aéreo regular em 2019.

De acordo com o estudo, neste período pouco mais de 1,1 milhão de pessoas e cerca de 3 mil toneladas de cargas foram transportadas a partir de Teresina. São Paulo/SP foi o município que apresentou maior movimentação aérea do país transportando 50 milhões de passageiros e 230 mil toneladas de cargas em 2019.

Por fim, os estudos revelam que o Distrito Federal é o principal destino das pessoas que utilizam transporte aéreo no Piauí, em 2019 394 mil pessoas viajaram para o local. O segundo principal destino mais visitado pelos piauienses é São Paulo com movimentação de 232 mil pessoas, e Ceará o terceiro, para onde foram 214 mil passageiros em 2019.

Mais conteúdo sobre:

Teresina

Piauí

IBGE

Covid-19

Facebook
Indicado para você
Veja também