Viagora

Ministério Público discute situação do Hospital de Simplício Mendes

De acordo com o órgão ministerial, a audiência aconteceu nessa quinta-feira (09) e foi presidida pelas promotoras Emmanuelle Beto e Karla Furtado.

Nessa quinta-feira (09), o Ministério Público do Piauí, por meio da Promotoria de Justiça de Simplício Mendes com apoio do Caods (Centro de Apoio Operacional de Defesa da Saúde), realizou audiência extrajudicial dando continuidade no acompanhamento das condições do Hospital Estadual José de Moura Fé, localizado em Simplício Mendes.

A reunião foi presidida pelas promotoras de Justiça Emmanuelle Beto, titular da PJ do município e Karla Furtado, coordenadora do Caods/MMPI.

Conforme o MPPI, os gestores e a equipe técnica da unidade de saúde solicitaram que a Secretaria de Estado da Saúde (Sesapi) fortaleça a estrutura do prédio. Eles relataram diversas dificuldades, dentre elas o atendimento às gestantes do município.

A gestora da Diretoria de Unidade de Descentralização e Organização Hospitalar (DUDOH/Sesapi), Joselma Oliveira, afirmou que a Sesapi está ciente sobre as dificuldades que o hospital enfrenta com relação ao transporte de grávidas e os demais pacientes da unidade de saúde.

Além disso, outro requerimento dos gestores do hospital foi o apoio da Sesapi para adotar melhorias na estrutura do hospital. Segundo a chefe do DUDOH a pasta de saúde já tem adotado medidas para melhorar o quadro do hospital.

Ainda segundo o MPPI, os representantes dos conselhos profissionais, como o Conselho Regional de Medicina (CRM-PI) e do Conselho Regional de Enfermagem (Coren) também pediram agilidade na execução das ações.

Na audiência extrajudicial estiveram presentes representantes da Sesapi, do CRM-PI, do Coren-PI, do Samu Estadual e o Municipal (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência), assim como do Conselho Municipal de Saúde de Simplício Mendes e a diretoria do hospital.

Até o fim de janeiro de 2022 a DUDOH/Sesapi ficou responsável por oferecer um treinamento sobre obstetrícia destinado aos profissionais da unidade de saúde, assim como deve ceder processo licitatório, ambulância ao hospital e verificar a possibilidade de incremento na equipe de profissionais.

Conforme o MPPI, a coordenadora do Samu de Simplício Mendes deve encaminhar a escala dos profissionais que atuam no serviço ao Ministério Público e à coordenação estadual.

Por fim, o CRM Piauí solicitou uma melhoria na estabilização de pacientes que necessitam ser transportados para outras unidades de saúde do estado, a partir da melhoria nos equipamentos e da promoção de treinamentos dos profissionais que atuam no serviço de deslocamento dos pacientes.

Dentre as medidas sugeridas estão: o treinamento realizado em parceria com entidades como a Sociedade de Pediatria do Piauí (Sopepi) e o uso mais intenso de telemedicina para que os pacientes sejam atendidos através de videoconferência.

Por fim, uma nova audiência está marcada para janeiro do próximo ano para averiguar se foram adotadas medidas visando à melhoria na assistência médica prestada pelo Hospital Estadual do município.

Facebook
Indicado para você
Veja também