Viagora

Prefeito Dr. Pessoa faz balanço positivo do primeiro ano de gestão

O prefeito da capital piauiense destacou que assumiu a gestão com praticamente todos os cofres públicos vazios.

O prefeito de Teresina, Dr. Pessoa fez um balanço da administração da capital piauiense neste primeiro ano de gestão durante entrevista ao Viagora.

Sobre o assunto o gestor explica que a nova administração iniciou com os cofres públicos vazios. “Nós começamos uma administração após mais de 30 anos de uma administração tirânica que estava. Era uma verdadeira tirania, era passar o bastão para um, para outro e assim sucessivamente. Esta nova fase administrativa da capital do Piauí, ela começou com os cofres públicos vazios. Na administração anterior tinha em caixa quase R$ 30 milhões e no dia 31 de dezembro de 2020 não tinha mais dinheiro”.

  • Foto: Luis Marcos/ ViagoraPrefeito de Teresina, Dr PessoaPrefeito de Teresina Dr. Pessoa

Anda sobre o assunto, Dr. Pessoa comenta que alguns acreditavam ele não conseguiria dar conta da administração de Teresina, mas afirma que conseguiu quitar dívidas deixadas pela administração anterior.

“Apostando dentro de um perfil frustrado que achavam que iam fazer o seu sucessor, apostando que esta administração conduzida pelo Dr. Pessoa, não fosse honrar os compromissos da administração. O servidor, obras e por aí em diante. Há secretarias funcionando e tudo nós botamos para funcionar, embora de maneira maldosa fizeram isso conosco, porque que isso aconteceu, fora os buracos negros encontrados? E foi principalmente os precatórios, dívidas vencidas que nós tivemos que honrar. Foram mais de R$ 200 milhões de reais para pagar. Também encontramos em torno de 90% de todas as obras paradas, não por conta da pandemia, mas paradas porque não estavam honrando com os compromissos que é ter um trabalhando e recebendo. Algumas delas tivemos que pagar o atrasado para dar continuidade e o pior foi que algumas não quiseram mais dar continuidade. Imagine pagar o atraso, não dá continuidade, licitar. Tem obra pouquinha que vai começar só agora no mês de janeiro em diante, mas graças a Deus, graças a iluminação divina que a maioria nós colocamos para funcionar”, afirmou.

Dr. Pessoa ressalta que Teresina está um verdadeiro canteiro de obras e explica como fez para conseguir colocar obras inacabadas para funcionar durante o ano.

“Está um verdadeiro canteiro de obras a capital do Piauí. Mas numa vulnerabilidade econômica, pandemia, um declínio econômico nacional, qual foi o segredo para colocar em dias? Não roubar e nem deixar roubar. É a palavra que está lá na constituição, ser mais eficiente, mais respeitoso com o dinheiro público, o cidadão brasileiro, piauiense, teresinense, muitos deles pagam tirando o pão da boca e ainda não são tratados dignamente com respeito, não é o meu perfil. Fomos rígidos, duros, cobrando e, mesmo em período que aumentou gasolina, gás, custo de várias coisas, na nossa prestação de contas não teve uma pasta que não teve um certo nível de economia, sem comprometer a administração, porque fazer economia e comprometer a administração não é o correto. Por isso que a coisa andou”, declarou.

Questionado sobre o maior desafio após assumir a gestão de Teresina, o prefeito explica que foi a aceitação de alguns funcionários que já vinham da administração anterior.

“Você suceder uma prefeitura de mais de 30 anos que um grupo político vinha conduzindo a cidade de Teresina. Quando veio a mudança, alguns aceitaram, mas outros não. Porque já vinham cronicamente daquela tirania, essa foi a principal dificuldade. Não mexemos ainda adequadamente nesse sistema, mas se no ano de 2022 eu me deparar e saber que estamos remando em um sentido e essa pessoa estiver remando no sentido contrário, eu vou tomar uma decisão. Nunca pensaram que um caboclo que teve dificuldade e muita para se alfabetizar, do interior de Água Branca, da roça, eu morava à 15km de uma escola, todos os meus irmãos eram analfabetos e até hoje são, não iam esperar que eu administrasse uma capital de um estado da federação, é muito difícil querer aceitar. Talvez alguns acontecimentos que tiveram por aí foram devido a isso. Esse ainda continua sendo o desafio, eu ainda olho assim, mas Deus é bom e as coisas estão acontecendo. Aqui na administração sabem que quem desviar de conduta, no dia seguinte não está mais aqui. Então estamos terminando o ano sem dever, sem passar nem perto de uma delegacia, muito menos no poder judiciário e vai ser assim, quem protege é Deus”, explicou.

Ainda segundo Dr. Pessoa, foram devolvidos vários veículos que estavam espalhados entre as pastas, o que trazia muitos gastos para a administração.

“Eu venho pro serviço público no meu transporte e de vez enquanto em pego outro transporte daqui, mas tinha carro para tudo quanto é lado, devolvi alguns, eu não sei quantos da administração e devolvi, era uma farra do boi em tudo, desde conserto de carro, do ar-condicionado, da limpeza, tinha coisas inacreditáveis. Por isso que o dinheiro deu e não estamos com as mãos vazias não. Os reclames que tem passado na mídia em relação ao professor, a essa complementação trabalhista da saúde, tudo isso se tiver comprovado dentro de lei, nós temos dinheiro para pagar, agora não posso pagar fora da lei”, finalizou.

Facebook
Indicado para você
Veja também