Viagora

Projeto torna Orquestra Sinfônica de Teresina Patrimônio Cultural Imaterial

Segundo a Alepi, a proposta já foi lida em Plenário e encaminhada às comissões técnicas para que receba o parecer e siga a tramitação

Nessa sexta-feira (08) a Assembleia Legislativa do Piauí (Alepi) informou que a Deputada Estadual Teresa Brito (PV) apresentou o projeto de Lei 48/2022 para tornar a Orquestra Sinfônica de Teresina integrante do “Patrimônio Cultural Imaterial” do Piauí.

Foto: Luis Marcos/ ViagoraDeputada Teresa Britto
Deputada Teresa Britto

Segundo a Alepi, a proposta já foi lida em Plenário e encaminhada às comissões técnicas para que receba o parecer e siga a tramitação.

Criada em 1993, ainda chamada de Orquestra de Câmara, a entidade teve como primeiro diretor didático-pedagógico o maestro Emmanuel Coelho Maciel, sendo que oito anos depois o maestro Aurélio Melo assumiu a coordenação e até hoje ainda é o seu principal dirigente. A orquestra começou preparando 25 jovens bolsistas de comunidades de Teresina, dos quais 16 nunca haviam estudado música.

A Deputada Teresa Brito lembrou os primeiros tempos da entidade “Esses jovens se dispuseram ao aprendizado da arte de tocar instrumentos de cordas friccionadas, como o violino, a viola, o violoncelo e o contrabaixo. Posteriormente foram acrescentados instrumentos de sopro e percussão”, explicou.

De acordo com a Deputada Estadual, a primeira apresentação da Orquestra de Câmara aconteceu durante as comemorações dos 141 anos de Teresina. “Estava lançada, então a semente que cresceu e passou a produzir muitos e valiosos frutos. Desde lá muitos convites foram atendidos para participar de eventos e solenidades culturais, sempre alcançando repercussão nos meios artístico e político-cultural”, disse ela.

De acordo com as informações divulgadas pela Alepi, em 2005, foi criada a Associação dos Amigos da Orquestra de Câmara de Teresina, que apresentou um projeto de ampliação e reestruturação da instituição. O projeto foi aprovado pelos Correios, com o apoio do então presidente João Henrique Sousa, ex-ministro e atual secretário de Planejamento da Prefeitura de Teresina. Com a compra de novos equipamentos e o pagamento dos músicos, passou a se chamar Orquestra Filarmônica de Teresina.

Por fim, conforme a parlamentar, em 8 de junho de 2007, o então prefeito Sílvio Mendes assinou um decreto de mudança do nome para Orquestra Sinfônica de Teresina, “tornando-se, com o passar dos anos, cada vez mais uma referência quando se fala de música instrumental no Estado do Piauí, sendo presença fundamental e indispensável nos grandes eventos culturais”, justificou a parlamentar.

Por Anna Paula Couto

Facebook
Indicado para você
Veja também