Viagora

Transição para Nova Maternidade é debatida durante reunião em Teresina

Segundo o Governo do Estado do Piauí, os debates foram para tratar das adequações físicas do novo prédio e da conclusão do levantamento de pessoal que vem sendo feio pela Associação Reabilitar.

Foi realizada nessa quarta-feira (15), pela Comissão de Transição da Nova Maternidade Dona Evangelina Rosa, mais uma reunião para discutir e acertar detalhes para a mudança para o novo prédio, que fica localizado na Zona Leste de Teresina.

Segundo o Governo do Piauí, os debates foram para tratar das adequações físicas do novo prédio e da conclusão do levantamento de pessoal que vem sendo feio pela Associação Reabilitar. Participaram da reunião, representantes dos órgãos e instituições da Associação Reabilitar, Maternidade Dona Evangelina Rosa, Secretaria Estadual de Saúde (Sesapi), Vigilância Sanitária Estadual (Divisa) e Conselho das Secretarias Municipais de Saúde do Piauí (Cosems).

Foto: Divulgação/ Governo do PiauíReunião da Comissão de Transição da Nova Maternidade
Reunião da Comissão de Transição da Nova Maternidade

Aécio Ramos, que é engenheiro da Vigilância Sanitária, apresentou para a comissão o relatório de conformidades técnicas que terão que ser feitas no prédio para garantir o funcionamento de acordo com a legislação sanitária, além de também serem discutidos pontos como o novo imóvel para abrigar a Casa da Gestante.

De acordo com a diretora de Vigilância e Atenção à Saúde da Sesapi, Cristiane Moura Fé, existem normativas do Ministério da Saúde para a execução do programa. “Existem normativas do Ministério da Saúde para a execução do programa, como a distância máxima dessa casa para a maternidade, e tudo isso terá que ser adequado ao novo prédio”. Explica

Segundo o governo, a Associação Reabilitar ficou de apresentar na próxima reunião da comissão, que está prevista para acontecer no dia 29 de junho, o relatório final do levantamento da atual estrutura de pessoal da maternidade para a comissão deliberar sobre a necessidade da realização de processo seletivo.

Conforme o superintendente multiprofissional da Associação Reabilitar, Aderson Luz, só poderá ser a necessidade de processos seletivos após a conclusão do relatório. “Só após a conclusão desse relatório poderemos saber a necessidade de processos seletivos, lembrando que os servidores efetivos continuarão seguindo o regime estatutário e vinculados à Sesapi”, destacou.

Facebook
Indicado para você
Veja também