Viagora

Julgamento de acusados de matar empresário Fábio Brasil é marcado

Segundo denúncia do MPPI, o empresário foi assassinado no dia 31 de março de 2012, em frente à revendedora de veículos Car Consult, localizada na Avenida Miguel Rosa, zona Sul da capital.

A 1ª Vara do Tribunal do Júri irá julgar os réus Jhonathan de Sousa Silva e Elker Farias Veloso, acusados de matar o empresário Fábio dos Santos Brasil Filho, conhecido como Fábio Brasil, em 25 de agosto. O caso será submetido a Júri Popular sob a titularidade do juiz Antônio Nollêto, no auditório do Fórum Cível e Criminal de Teresina.

Conforme denúncia Ministério Público do Piauí (MPPI), o empresário foi assassinado no dia 31 de março de 2012, em frente à revendedora de veículos Car Consult, localizada na Avenida Miguel Rosa, zona Sul da capital.

Ainda segundo o órgão ministerial, dois pistoleiros seriam os responsáveis por executar o empresário Fábio Brasil.

Entenda o caso

O caso do empresário Fábio Brasil já passou pelo Tribunal do Júri de Teresina no dia 18 de dezembro de 2012. Durante a primeira audiência de instrução e julgamento foram ouvidos acusados e testemunhas do crime.

Para a realização do julgamento foi necessário que três acusados de envolvimento no caso fossem transferidos da prisão em São Luís no Maranhão para Teresina, este foram: Gláucio Alencar Pontes Carvalho, José de Alencar Miranda de Carvalho e o capitão da PM-MA, Fábio Aurélio Saraiva Silva (o ‘Fábio Capita’).

A época Elker e Jhonatan, estavam em presídios federais, respectivamente, em Minas Gerais e no Mato Grosso do Sul, mas não foram recambiados para a capital. Jhonatan confessou o crime e relatou a polícia que foi contratado por Júnior Bolinha para executar o empresário. A arma utilizada no crime seria do policial militar, Fábio Capita.

Conforme denúncia do Ministério Público, após efetuar os seis disparos que deram cabo da vida do corretor, Jhonatan ligou para Bolinha dizendo que "o serviço estava feito". O assassinato teria sido acertado em R$ 100 mil. Para o MP, Bolinha agiu a mando de Gláucio e de seu pai.

Facebook
Indicado para você
Veja também