Viagora

Influenciador Itallo Bruno não tem envolvimento com facção, diz polícia

Os delegados à frente do caso e a defesa dos acusados, estiveram em uma coletiva de impressa na Delegacia Geral da Polícia Civil na manhã desta terça-feira (23)

Na manhã desta terça-feira (23), a Polícia Civil do Piauí informou durante coletiva de imprensa, que o influenciador Itallo Bruno e os outros investigados na Operação Jogo Sujo foram soltos na segunda-feira (22) após um acordo de colaboração premiada. Os delegados à frente da investigação também declararam que o jovem e seus familiares não têm envolvimento com facções criminosas.

Segundo o delegado Humberto Mácola, a investigação iniciou no mês de agosto de 2023 e se estendeu até 11 de janeiro, quando foi deflagrado a operação. “Jogos de azar, lavagem de dinheiro, organização criminosa e uma suposta participação em facções criminosas eram alvos da investigação, no dia 11 deflagramos a operação e na data de sábado, o relatório final foi colocado com o resultado dessa fase da operação e o indiciamento de dez pessoas", declarou o delegado.

Foto: Alexia Dias/ ViagoraColetiva de impressa sobre a Operação Jogo Sujo
Coletiva de impressa sobre a Operação Jogo Sujo

O delegado afirmou, em coletiva de imprensa, que Itallo Bruno e seus familiares não tinham envolvimento com facções, mas com ações relacionadas a jogos de azar, lavagem de dinheiro e participação em organização criminosa, já que havia uma empresa operando de forma irregular.

"Nós mantemos o posicionamento do jogo de azar, da lavagem de dinheiro, o reconhecimento dele, da organização criminosa, mas, ao final dessa investigação, nós chegamos à conclusão da ausência de participação em facção criminosa, existe essa diferença, foi verificado a existência de uma verdadeira empresa que funcionava irregular, ilegal, mas a participação e o envolvimento, tanto do investigado principal como de seus familiares, esse vínculo com facção criminosa, isso não existe, o que existiu, foi uma transação pontual entre o investigado e um membro que não denota qualquer tipo de envolvimento com participação” , disse o delegado.

De acordo com os delegados, Itallo Bruno realizou uma colaboração premiada, que consiste na oferta de benefícios por parte do Estado. “Diante dessa colaboração premiada, onde as partes cedem algo para o bem comum, para o avanço da investigação, o investigado que foi participante dessa colaboração abriu mão da totalidade dos seus bens, restando alguns apenas para garantir eventuais prejuízos a supostas vítimas, além de um bem de família. Ele reconheceu os crimes cometidos de lavagem de dinheiro, organização criminosa e os jogos de azar e deu elementos novos, abriu um leque para novas investigações”, disse Humberto Mácola.

Os bens do investigado serão revestidos para a Secretaria de Segurança Pública, segundo o Secretário Chico Lucas afirmou, que os veículos irão a leilão e grande parte desses valores serão destinados a instituições de caridade. 

Sobre o caso

O influenciador digital Itallo Bruno foi preso no último dia 11 de janeiro, na Operação Jogo Sujo pela Polícia Civil do Piauí. O alvo da ação divulgava sorteios de casas e veículos, além de fazer publicações com carros e motocicletas luxuosas. De acordo com a Polícia Civil, a operação, conduzida pela Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática (DRCI),  tem o objetivo de reprimir os crimes de lavagem de dinheiro, organização criminosa e jogos de azar.

Facebook
Indicado para você
Veja também