Polícia

“Alguns presos confessaram ser de facções”, diz delegado Willame Moraes

Segundo o delegado, a Operação Integrada seguirá no decorrer do dia, com o objetivo de combater os crimes que estão sendo realizados em Teresina.
12/05/2021 13h32 - atualizado

O delegado Willame Moraes, da Divisão de Capturas da Polícia Civil (Dicap), que está coordenando a Operação Integrada, que teve início na manhã desta quarta-feira (12), informou que a operação seguirá no decorrer do dia, com o objetivo de combater os crimes que estão sendo realizados em Teresina.

De acordo com o delegado, todos os acusados são da região sudeste da capital, e ficarão na central de flagrantes para cumprir pena: "A operação não para, foram cumpridos 9 mandados de prisões, dentre eles, 3 deram prisão em flagrante, 2 por tráfico de drogas e 1 por porte ilegal de arma de fogo. Fora isso foram cumpridos mais 6 mandados de prisão de pessoas que já estavam presas no Sistema Prisional. Nós temos 15 mandados de prisão até agora. A operação não termina pela parte da manhã, vai se estender pelo dia todo de hoje", destacou.

  • Foto: Luís Marcos/ ViagoraDelegado Willame MoraesDelegado Willame Moraes

Conforme Willame Moraes, alguns dos detidos confessaram fazer parte de facções criminosas: "São todos da região Sudeste, da região do grande Dirceu e ficaram na Central de flagrantes onde vão cumprir pena. Algumas dessas pessoas que foram presas falaram que fazem parte de organizações criminosas, que ocorrem na nossa capital, e inclusive tem um, que responde a 3 homicídios e a 5 processos criminais distintos de homicídios", explicou.

O secretário de Segurança Pública do Piauí (SSP-PI), coronel Rubens Pereira, informou que dos 10 mandos de prisão, até o momento foram cumpridos nove, além de dois mandos de apreensão de veículos e armas, e roubo qualificado. Segundo o secretário, o maior objetivo da operação é fazer com esses criminosos não se causem mais riscos a sociedade.

"É fazer com que essas pessoas não se tornem mais riscos a sociedade, porque estando fora, são pessoas que não têm objetivos de vida e se não trabalham, não tem emprego ou não tem outra alternativa de vida vão fazer o que sempre praticam. São pessoas que estão inseridas no mundo da criminalidade e por conta dessas decisões devem ir para o sistema Prisional", esclareceu.

  • Foto: Luis Marcos/ ViagoraRubens Pereira, Secretário de Segurança do PiauíSecretário de Segurança do Piauí, Rubens Pereira 

Sobre alguns presos que confessaram fazer parte de facções criminosas, o secretário acredita que nesse primeiro momento é importante investigar e apurar todas as informações, inclusive com operações no interior do estado.

“Essa operação integrada das instituições e exatamente uma reação do sistema estadual de segurança pública contra isso. Nós vamos fazer isso tanto na capital com no interior do estado. Uma outra preocupação é o litoral do Piauí a cidade de Parnaíba e Luís correia. Onde nós vamos programar operações. Em Parnaíba por exemplo, já estamos com equipes da Polícia Militar, atuando e reforçando o policiamento ostensivo e vamos continuar com essas operações”, destacou.

Em relação ao número de facções, Rubens esclarece que todas estão sendo investigadas para chegar ao número exato e as devidas medidas serem adotadas. "Isso já está sendo analisado tanto pelo serviço de investigação de inteligência. Pra nós não basta chegar a essa conclusão sem ter uma investigação. Não adianta apenas a confissão, nós temos que fazer um link com a confissão deles com a realidade dos fatos”, finalizou.

Mais na Web