Piauí

Estudantes cobram da instituição FAERPI expedição dos diplomas

O Viagora recebeu novas reclamações sobre a Faculdade Entre Rios e a Fest Filemon. Estudantes relatam problemas para recebimento dos diplomas de cursos realizados.
13/04/2019 08h00 - atualizado

O Viagora recebeu novas reclamações sobre a Faculdade Entre Rios (FAERPI) e a Fest Filemon. Os estudantes Arlindo Manoel e João Paulo relatam problemas para recebimento de diplomas de cursos realizados.

Arlindo fala que entrou em contato com a FAERPI há um ano e oito meses para convalidar seu curso de Filosofia, sendo atendido pelo diretor da instituição, Eylanison Falcão, que o exigiu documentos e R$ 1.600 (mil e seis centos reais) pelo serviço. O estudante foi informado que receberia o diploma via Correios, no prazo de 180 dias. Meses depois o diretor solicita o reenvio dos documentos, mas afirma que não os perdeu. Deste então, nenhum contato teria sido retornado.

“Confesso que passei dificuldades financeiras ao enviar o valor tão alto, mas o mais importante naquele momento era receber o diploma. Já encaminhei e-mail e nenhuma resposta. Agora não sei o que eu faço, pois investi na esperança de poder dá aula e agora me vejo lesado, roubado e enganado”, desabafou Arlindo Manoel.

Já o João Paulo contou que fez o curso bacharelado em Teologia, através de processo de convalidação. Ele começou os estudos em 2016 e terminou em um ano. A Fest Filemon enviou um e-mail ao aluno em agosto de 2018 cobrando uma taxa de R$ 269, o que foi pago em setembro, alegando que o mesmo receberia o diploma dentro de 90 dias.

  • Foto: Reprodução/ViagoraFest Filemon cobra taxa a aluno.Fest Filemon cobra taxa a aluno.

Em outubro daquele ano, uma nova mensagem de e-mail solicitava documentos pessoais de João. Após esse contato, a empresa somente voltou a responder depois que o estudante ameaçou denunciar o caso à Justiça. “Será que eles estão dando golpe?”, indagou o aluno.

  • Foto: Reprodução/ViagoraBoleto pago pelo estudante João Paulo.Boleto pago pelo estudante João Paulo.

Mudança de sede e de nome de identificação

A Fest Filemon era sediada na cidade de Uberaba-MG, mas agora encontra-se em Teresina, tendo a FAERPI como responsável pela emissão de certidões. A mudança ainda não consta no sistema da Receita Federal.

Um texto que estava disponível no site da faculdade informava que os cursos que oferece são de níveis eclesiásticos e não possuem reconhecimento pelo Ministério da Educação. A instituição afirmava que tinha “plena consciência das dificuldades de se implantar um curso reconhecido pelo MEC, e por isso em momento algum objetiva propaganda enganosa aos interessados com promessas infundadas”.

“A instituição não tem objetivo de angariar lucros, ou distribuir sem critérios diplomas, tanto que a instituição é extremamente exigente na correção das avaliações”, dizia o texto disponível na internet.

A faculdade afirmava, ainda, que os diplomas do curso “têm caráter eclesiástico na preparação de Ministros do Evangelho e pessoas com interesse no assunto”. De acordo com o site, os cursos são de curta duração e as taxas são apenas para cobrir a confecção dos materiais didáticos, despesas de correios, bem como cobertura dos custos fixos da escola.

Agora a Fest Filemon repaginou o seu site e adotou o nome de Instituto Filemon. O novo texto diz que a instituição é “credenciada, com sede administrativa e nos padrões de exigência”. A página virtual está divulgando promoções de cursos. O de Teologia chega ao valor total de R$ 2.800, ao custo de R$ 249,90 mensais.

“Atualmente existem muitos sites ofertando cursos teológicos com ótimas aparências, mas aparências virtuais nem sempre condiz com suas estruturas físicas e acadêmicas. O Instituto Filemon foi escolhido pela ATEAL (Associação Evangélica de Educação Teológica da América Latina) como uma das 10 melhores Faculdades de Teologia no ano de 2015)”, diz o novo texto disponível no site da instituição.

Já na página virtual da FAERPI, somente há um texto de apresentação que esclarece que, em razão do volume de solicitações, não serão mais realizados atendimentos por telefone, seja por ligação ou WhatsApp. “Em caso de envio para e-mail informados nos documentos da IES, o mesmo retornará com uma resposta automática orientando a fazê-lo pelas plataformas oficiais. Reiteramos que qualquer contato via canais não oficiais da FAERPI informados nesta nota, serão ignorados”, ressalta a manifestação.

Reclamação anterior

Um outro aluno já via prestado reclamações ao Viagora sobre as duas instituições. André Gomes relatou que está há anos sem receber o seu diploma e histórico do curso de Filosofia. O diretor Eylanison alegou que o processo do André não estava atrasado. “Ele é de um lote de alunos que estavam terminando o curso dele e por isso não estava ainda sendo emitido”, explicou.

O diretor informou que a emissão dessa documentação leva mais ou menos 90 dias, mas que o prazo pode sofrer variações. “Todo diploma de faculdade precisa ir para registro em uma universidade. Aí quando esse diploma sai da faculdade para a universidade para registro, infelizmente a gente não tem controle desse tempo, pode demorar 30, 60, 90, 120 até 180 dias”, falou.

Outro lado

O Viagora não localizou o diretor Eylanison para comentar os casos. Também entramos em contato com o diretor comercial da Faerpi, Sílvio Reis, mas ele não atendeu as ligações.

Mais na Web