Política

"Faremos uma administração decente", diz pré-candidato Dr. Pedrosa

Segundo Dr. Pedrosa, a candidatura própria do PDT é uma forma de mostrar quem é o partido.
27/08/2020 06h12 - atualizado

Em entrevista ao Viagora, o pré-candidato a Prefeito de Teresina pelo PDT, o médico Francisco Pedrosa, disse que o anúncio da pré-candidatura é uma resposta dos movimentos dentro do partido que ao longo de mais de 15 anos nunca teve uma candidatura própria, servindo apenas como “escada”.

De acordo com Dr. Pedrosa, houve uma mudança no clima dentro do partido com a saída de dois deputados, que segundo ele, impediam o crescimento dos movimentos dentro da sigla.

“O PDT na verdade ele de uns tempos para cá, ele tem servido apenas de escada e por isso eu me afastei da militância partidária do partido porque eu não concordava e também não tinha força política no momento para surgir contra. Com a saída de dois deputados do PDT o ambiente intrapartidário mudou, porque esses dois deputados, juntamente com um vereador que tem na capital, eles impediam a existência, o movimento e a acessão desses movimentos dentro do partido”, relata.

  • Foto: DivulgaçãoPré-candidato pelo PDT, Dr. PedrosaPré-candidato pelo PDT, Dr. Pedrosa

Dr. Pedrosa também critica a posição do partido ao longo dos anos, ressaltando que nunca viu o PDT ter atitude em relação aos trabalhadores, e afirma durante o período em que a sigla manteve apoio ao PSDB na capital, nenhum cargo foi disponibilizado.  

“Nas reuniões que nós fizemos para reorganizar o partido, como tinha mudado o status político dentro da sigla, eu sugeri a quem fez a intervenção, eu disse ‘olha, vamos juntar as pessoas, conversar e rediscutir a situação política do partido em relação ao município’ [...] O PDT é um partido trabalhista, que pertence a social democracia, é um partido que tem uma intimidade com os trabalhadores, e eu não vejo, não vi, acompanhando ao longo dos últimos dez anos, eu nunca vi uma atitude do PDT pra proteger trabalhador. Se eles [direção estadual do partido] defendem uma composição com a prefeitura, o governo de Teresina nunca cedeu um espaço para o PDT, isso não tem sentido. Pode ter certeza que eu vou ficar contra e vou mobilizar os movimentos para a gente se organizar para enfrentar”, explica o pré-candidato.

Segundo Dr. Pedrosa, a pré-candidatura própria do PDT é uma forma de mostrar quem é o partido, e que essa posição será discutida durante uma convenção, mas ressalta que com a organização dos movimentos dentro da sigla, eles irão encabeçar uma candidatura majoritária de “qualquer jeito”.

“Os movimentos estão todos organizados, e nós vamos bater na convenção eles. Nós vamos para a convenção, e se não der para bater no voto, nós vamos entrar de qualquer jeito, mas nós vamos ganhar desses caras [...] Durante esse tempo todo nós não fomos ouvidos como pré-candidatura majoritária. Nós do PDT, ao longo de 15 anos nunca tivemos um candidato para poder mostrar quem é o PDT. A nossa missão é essa, mostrar quem é o partido, a que veio, e vamos fazer uma administração decente”, disse.

Biografia

Dr. Pedrosa é graduado pela Faculdade de Ciências Médicas de Pernambuco como médico cirurgião geral, e pós-graduado em Gestão Hospitalar pela Faculdade São Camilo, em São Paulo.

O médico já foi diretor do Instituto de Previdência do Município de Teresina (IPMT) e diretor do Hospital Regional Tibério Nunes, na cidade de Floriano. Chegou a ocupar o cargo de subsecretário da Secretaria de Estado da Saúde (Sesapi), e foi um dos responsáveis pela implementação do Sistema Único de Saúde (SUS) no interior do estado, além de atuar como diretor clínico e geral do Hospital Getúlio Vargas (HGV).

Mais na Web