Saúde

Fiocruz deve começar a produzir vacina contra Covid-19 em dezembro

Segundo o Ministério da Saúde, o próximo passo será a assinatura de um acordo de encomenda, previsto para a segunda semana de agosto, que irá garantir acesso a 100 milhões de doses.
02/08/2020 10h00 - atualizado

A Vacina desenvolvida pela Universidade de Oxford, parceira entre o Reino Unido e o Governo brasileiro, deve começar a ser produzida em dezembro deste ano com total domínio tecnológico e de forma independente pela Fiocruz no Brasil.

O acordo entre a empresa farmacêutica AstraZeneca e o Brasil foi anunciado em 27 de junho pelo ministério da Saúde e define os parâmetros econômicos e tecnológicos para a produção de uma vacina contra a Covid-19 desenvolvida pela Universidade de Oxford que já está em fase de estudos clínicos no Brasil.

Segundo o Ministério da Saúde, o próximo passo será a assinatura de um acordo de encomenda, previsto para a segunda semana do mês de agosto, que irá garantir acesso a 100 milhões de doses da vacina, sendo 30 milhões de doses previstas entre dezembro e janeiro, e 70 milhões para os dois primeiros trimestres de 2021.

Conforme o Ministério da Saúde, a pasta pretende investir cerca de R$ 1,8 bilhões para começar a produzir a vacina no Brasil. Do valor investido, R$ 522 milhões serão destinados à estrutura da unidade da Fiocruz que produz imunobiológicos, a Bio-Manguinhos, e R$ 1,3 bilhão é de despesa referente a pagamentos previstos no contrato de encomenda tecnológica.

Com base em dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), no mundo há 164 pesquisas para o desenvolvimento de uma vacina contra a Covid-19, e 25 delas estão em estudo clínico, sendo que apenas três estão na última fase de testes.

Mais na Web