Piauí

Governo doará 2 mil cestas básicas a motoristas de ônibus de Teresina

A entrega das cestas básica acontecerá na sede do Sindicado dos Trabalhadores em Empresas de Transporte Rodoviário do Piauí (Sinetro) às 11 horas desta quarta-feira.
  • LETÍCIA DUTRA
13/10/2021 07h51 - atualizado

Nessa quarta-feira (13), o Governo do Estado do Piauí através da Secretaria de Estado da Defesa Civil (Sedec) entregará 2 mil cestas básicas alimentícias para motoristas e cobradores de ônibus de Teresina. A ação tem o objetivo de minimizar os impactos da crise pandêmica na categoria.

A entrega das cestas básicas acontecerá na sede do Sindicado dos Trabalhadores em Empresas de Transporte Rodoviário do Piauí (Sinetro) às 11 horas, e os motoristas e cobradores beneficiados pela ação receberão cestas que contém itens para consumo próprio como: açúcar, arroz, biscoito, café, feijão, leite em pó, macarrão, óleo vegetal, sal, sardinhas, farinha e massa de milho.

A vice-governadora do Estado do Piauí, Regina Sousa, o secretário da Sefaz e coordenador do PRO-Piauí, Rafael Fonteles e o deputado estadual Cícero Magalhães estarão presente na entrega. José Augusto Nunes, secretário da Sedec, ressaltou a importância da ação.

“Muitos rodoviários estão tendo dificuldades em levar alimento para dentro de casa e essa ação busca aliviar os prejuízos que a categoria tem tido ao longo dos meses”, destaca José Augusto Nunes.

O Sistema de Registro de Preços (SRP) foi responsável pela compra das cestas com menor burocracia e autorização da Procuradoria Geraldo Estado (PGE), Controladoria Geral do Estado (CGE), Secretaria de Estado da Fazenda (Sefaz) e orientação da Secretaria de Estado da Administração e Previdência (SeadPrev).

José Esmerino da Costa, membro do Sinetro e trabalhador rodoviário, também destaca o beneficio da ação e fala sobre a situação da categoria durante a pandemia.

“Estamos há quase dois anos sofrendo com essa pandemia, perdendo empregos e direitos. As cestas que estão sendo doadas pelo governador serão bem-vindas nesse momento, já que garante comida na nossa mesa por um mês”, relata José Esmerino.

Mais na Web