Saúde

Médica Marina Bucar diz que risco de reinfecção pela Covid-19 é baixo

Em vídeo publicado em suas redes sociais ela afirmou que pacientes que testam dois PCRs negativos e depois voltam a testar positivo não significa necessariamente um caso de reinfecção.
12/09/2020 10h33 - atualizado

Muito vem sendo especulado sobre a possibilidade de reinfecção pela Covid-19, em especial após um caso na Coréia ser divulgado na mídia. Mas para a médica piauiense, Dr. Marina Bucar, casos como esse são muito raros.

Em vídeo publicado em suas redes sociais ela afirmou que pacientes que testam dois PCRs negativos e depois voltam a testar positivo não significa necessariamente um caso de reinfecção. “Não necessariamente significa reinfecção, isso é muito importante falar, porque pode dar muito pânico pensar que uma PCR positiva significa reinfecção e não existe nenhuma evidência nos estudos atuais”.

  • Foto: Instagram/Marina Bucar BajurdA médica Marina Bucar Bajurd atuou no combate à Covid-19 na Espanha.A médica Marina Bucar Bajurd atuou no combate à Covid-19 na Espanha.

A médica ficou nacionalmente conhecida após defender o protocolo de tratamento da Covid-19 com o uso de hidroxicloroquina, medicamento que gera debates no meio médico por não apresentar evidências científicas concretas de sua eficácia.

Dr. Marina atua na linha de frente de combate à pandemia na Espanha, e ressalta que após a infecção pelo Sars Cov 2, o indivíduo pode desenvolver dois tipos de imunidade, a humoral e a celular. “O que ainda se desconhece é se todos os indivíduos vão desenvolver os dois tipos de imunidade e se essa imunidade vai ser duradoura ou não. Entretanto os riscos de reinfecção nos meses seguintes, se considera muito baixo”, explica.

 A médica ainda afirma que os casos de reinfecção, além de raros, geralmente não apresentam sintomas e os pacientes são incapazes de transmitir a doença.

“O que se viu foi que esses indivíduos não tiveram agravamento dos sintomas, estavam praticamente assintomáticos. Os que tiveram contato com esses pacientes não desenvolveram a doença, nem sequer positivaram a PCR, ou seja, não tiveram condição nem de causar a doença, nem de contaminar outras pessoas”, esclarece.

Dr. Marina Burca sugere ainda que o que está sendo visto são casos de Síndrome Pós-Covid.  “E o que geralmente a gente vê são Síndromes Pós-Covid. É isso que os médicos estão vendo, existem sintomas que permanecem, mas não significa uma reinfecção. Isso é muito importante epidemiologicamente para os gestores”, finaliza.

Mais na Web