Saúde

Médica Marina Bucar mostra estudo que comprova eficácia da hidroxicloroquina

De acordo com a médica, o estudo mostra que o medicamento só não teve bons resultados em pacientes em estado avançado, e relata sobre o tratamento precoce.
09/07/2020 16h10 - atualizado

Por meio de um vídeo publicado nas redes sociais, a médica piauiense, natural da cidade de Floriano, Marina Bucar, relatou sobre um estudo que mostra a eficácia do uso da hidroxicloroquinando tratamento precoce em pacientes com a Covid-19.

De acordo com a médica, que é doutora pela Universidade de Zaragoza, na Espanha, os estudos em que o medicamento não se mostrou eficiente ocorreram em pacientes em estado avançado da doença, com grande carga viral.

“Todos os estudos negativos na hidroxicloroquina foram baseados em estudo de uso tardio, em estados críticos, nos pacientes que já estavam mais graves [...] Doses excessivas, dados manipulados ou ignorados e pacientes que tinham uma contraindicação e que essa contraindicação não foi vista”, diz o estudo.

Segundo Marina Bucar, o estudo foi publicado no site suíço “Swiss Policy Research”, e relata que foi constatado resultados positivos no tratamento precoce com a hidroxicloroquina acompanhada por zinco, vitamina C, e heparina.

“Baseado nas evidências científicas atuais, indica o tratamento precoce com zinco, vitamina C, hidroxicloroquina e heparina [...] Durante os primeiros sintomas e antes do resultado da PCR para evitar hospitalização e caso ocorra, evitar uso de ventilador. Existem vários órgãos oficiais no mundo que indicam tratamento precoce porque já se viu que é a melhor estratégia atualmente, e no Brasil o Ministério da Saúde contempla nas suas recomendações também a utilização e Conselho Federal de Medicina apoia essa decisão para os médicos que decidem tratar [com a hidroxicloroquina]”, diz a médica.

Confira o vídeo:

Mais conteúdo sobre:

Mais na Web