Piauí

Motoristas bloqueiam entrada do Terminal de Petróleo em Teresina

A categoria reivindica a diminuição no preço dos combustíveis e um diálogo com o Governo do Piauí para resolver o problema.
11/03/2021 13h59 - atualizado

Manifestação dos motoristas de Aplicativo

Os motoristas de aplicativos, que realizaram uma manifestação na manhã dessa quarta-feira (10), continuam ocupando o Terminal de Petróleo de Teresina nesta quinta-feira (11). A categoria reivindica a diminuição no preço dos combustíveis e pede diálogo com o Governo do Piauí.

De acordo com um dos manifestantes, o motorista de aplicativo David Eduardo, o movimento é pacífico e destaca que até o momento o Estado não enviou nenhum representante para dialogar com a categoria sobre as reivindicações.

“O nosso movimento é pacífico. Motoristas de aplicativo, mototaxistas, entregadores, e até os caminhoneiros. Entre muitas das reivindicações com o Governo do Estado, o aumento abusivo da gasolina, a taxa que o Estado tira em cima da gasolina, que é uma das maiores do Brasil. E o pior, é que em nenhum momento o Governo do Estado mandou um representante pra negociar com a gente”, disse o manifestante.

O motorista relata que na noite dessa quarta-feira a polícia usou “força extrema” para dispersar os manifestantes, e afirma que algumas pessoas acabaram feridas durante a ação policial. Segundo David, em seguida um oficial de Justiça foi até o local para informar que o movimento realizado no Terminal de Petróleo de Teresina, impedindo a passagem dos caminhões que distribuem os combustíveis, era ilegal.

“Ontem teve um excesso de força desnecessária, fizemos nossa manifestação pacífica. A polícia, às 23h20, o Choque usou da força extrema: bomba de efeito moral, amigos da gente foram agredidos e foram feridos nos olhos, nas costas, e infelizmente a gente não teve uma resposta do Governo do Estado para saber o porquê de usar a força contra uma manifestação pacífica. Depois de duas horas chegou um oficial de Justiça com um documento manifestando que nossa manifestação passou de legal para ilegal”, relata.

Segundo o motorista de aplicativo, a manifestação é por tempo indeterminado, e é um movimento realizado em consenso entre todos os trabalhadores, ressaltando que a categoria irá continuar no local. “A nossa manifestação é por tempo indeterminado. A gente não vai sair, a gente vai lutar. A gente sempre vai tá em comum acordo, a classe toda unida, isso não é algo só de um motoristas, é a classe unida. A gente pode ser expulso, eles podem fazer o que quiser, mas a gente vai continuar aqui lutando pelos nosso direitos pacificamente”, relata o motorista.

Mais conteúdo sobre:

Mais na Web