Saúde

Rússia começa a vacinar principais grupos de risco contra Covid-19

A Sputnik V, vacina da Rússia foi uma das primeiras a ser desenvolvida e atualmente se encontra na terceira e última fase de testes clínicos.
05/12/2020 14h19 - atualizado

A vacinação contra a Covid-19 começou a partir deste sábado (5) na Rússia. A primeira leva da imunização será direcionada à profissionais da saúde, assistentes sociais e professores. Em Moscou, capital do país, foram abertos 70 centros especiais para realizar a imunização da população.

A Sputnik V, vacina desenvolvida da Rússia foi uma das primeiras a ser desenvolvida e atualmente se encontra na terceira e última fase de testes clínicos, envolvendo 40 mil voluntários. No mês passado, os criadores da vacina informaram que sua taxa de eficácia é de 95%, segundo os resultados provisórios.

Ainda de acordo com os criadores do imunizante, essa seria a vacina mais barata e mais fácil de se armazenar e transportar do que as outras que estão sendo desenvolvidas em outros países.

Nas últimas 24 horas, a Rússia registrou 28.782 novos casos positivos de covid-19 e mais 508 mortes pela doença, informou o centro operacional nacional para a luta contra o coronavírus em um comunicado. O número acumulado, 2.431.731, representa aumento de 1,2% em relação ao dia anterior. O total de mortos pela doença no país está em 42.684, segundo a agência de notícias russa Sputnik.

A vacina, aplicada em duas doses com 21 dias de intervalo, será gratuita para cidadãos russos e administrada voluntariamente.

As autoridades sanitárias disseram que, na primeira fase da campanha em Moscou, a vacina não seria administrada a trabalhadores com mais de 60 anos, pessoas com doenças crônicas, mulheres grávidas ou lactantes, embora sem indicar quando o tratamento estará disponível ao público em geral.

Segundo o prefeito de Moscou, Sergei Sobianin, 5 mil pessoas se inscreveram cinco horas após a abertura das inscrições online.

Com informações da Agência Brasil.

Mais conteúdo sobre:

Mais na Web