Política

“Vamos analisar cada semana”, diz Themístocles sobre retorno da Alepi

Segundo o presidente da Assembleia, o retorno das atividades parlamentares no Piauí será feito de forma gradual, seguindo as orientações do Congresso Nacional.
30/06/2020 13h50 - atualizado

A Assembleia Legislativa do Piauí (Alepi) realizou nesta terça-feira, 30 de junho, a primeira sessão presencial desde o início das medidas de isolamento social adotadas no estado, devido à pandemia do novo coronavírus.

Em entrevista coletiva, o presidente da Casa, deputado Themístocles Filho (MDB), afirmou que os parlamentares seguirão com os trabalhos que estavam sendo feitos remotamente, como a análise e votação de projetos, e que o retorno será de forma gradual.

“Já tem várias matérias nas comissões e remotamente nós já votamos algumas. Nós vamos fazer do mesmo jeito, um retorno gradual, hoje é a primeira sessão, na próxima semana poderão ser feitas uma ou duas sessões, e assim a gente vai analisando a cada semana, o que a gente pode avançar ou não avançar”, declarou.

  • Foto: Kelvyn Coutinho/ViagoraDeputado Themístocles Filho (MDB), presidente da Alepi.Deputado Themístocles Filho (MDB), presidente da Alepi.

Segundo o presidente, nenhuma pauta considerada emergencial para o estado que deixou de ser votada pela Assembleia, durante o regime de trabalho remoto.

“Não tem nenhum projeto que o Piauí precise para melhorar, para avançar, que a Assembleia não vote ou já não votou. Mesmo com esse problema do coronavírus no Piauí, a Assembleia Legislativa não deixou de votar nenhum projeto que fosse do interesse do estado”, comentou.

Themístocles informou ainda que foram tomadas diversas medidas de segurança para prevenir o contágio pela Covid-19 nas dependências da Assembleia.

“Só está entrando na Assembleia quem deu negativo, quem deu positivo não entra. Todas as medidas de segurança, aferir temperatura, álcool gel, máscara, tudo que a gente pode fazer, nós estamos fazendo”, disse.

O emedebista afirmou ainda que não haverá recesso parlamentar, e que o Legislativo piauiense seguirá as determinações do Congresso Nacional.

“Não existe recesso. Nós vamos seguir o que a Câmara Federal, o Congresso Nacional, está fazendo. O modelo será o adotado pela Câmara Federal”, finalizou.

Mais na Web