Política

“Vamos fazer uma radiografia do transporte público”, diz Dudu

Os trabalhos da Comissão Parlamentar de Investigação (CPI) do Transporte Público vão iniciar na próxima terça-feira (18), com os esclarecimentos da Strans.
10/05/2021 14h54 - atualizado

Na manhã desta segunda-feira, 10 de maio, aconteceu a primeira reunião dos vereadores que integram a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Transporte Público na Câmara Municipal de Teresina.

Na reunião, foi definido o cronograma de funcionamento da comissão, que vai investigar se houve irregularidades na execução do contrato da licitação do transporte público.

De acordo com o presidente da CPI, o vereador Dudu (PT), a primeira sessão vai acontecer na próxima terça-feira (18), com a Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (Strans) sendo o primeiro órgão a prestar esclarecimentos.

“Não somos inquisidores para fazer nada que não seja apresentado depois de robustas análises. Por isso que nós estamos requisitando os órgãos de controle, que são os instrumentos que controlam o poder público como um todo, como o Tribunal de Contas e o Ministério Público. Estamos requisitando também funcionários efetivos da Prefeitura e da Câmara Municipal, para que eles possam estar fazendo esse apanhado conosco”, declarou o vereador.

  • Foto: Lucas Klisman/ViagoraVereador Reeleito, DuduVereador Dudu (PT), presidente da CPI.

Dudu afirmou que, após o depoimento da Strans, serão convocados os empresários do setor do transporte público para prestar esclarecimentos.

“Já definimos que logo depois de ouvir a Strans, que é o órgão fiscalizador do contrato, a gente possa daí já começar a fazer as oitivas dos empresários do transporte público. Vamos fazer isso de forma descentralizada, ouvindo consórcio por consórcio, empresário por empresário, para que a gente possa ter uma radiografia, uma visão pública e uma visão privada, para daí a gente apontar onde está o maior gargalo”, comentou.

O presidente da comissão confirmou que os motoristas e cobradores de ônibus também serão ouvidos na CPI.

“Com certeza deverão ser ouvidos aqui os trabalhadores do sistema, eles sofrem tanto quanto a população. Estão sendo humilhados, não recebem dinheiro, recebem pressão para trabalhar todos os dias sem ganhar, e são obrigados a sair com um ônibus em más condições. O motorista sabe que não tem combustível, ele sabe que está saindo sem a menor condição de terminar o percurso. Aí o carro dá o prego e ele ainda fica responsável, caso tenha um roubo ou uma depredação, e ele vai ter que pagar por isso. Então com certeza os trabalhadores serão ouvidos, a população nós já sabemos o sentimento. Se fizer uma pesquisa, a unanimidade que vai ter do povo teresinense é que o transporte público não presta”, disse.

Questionado se poderá haver uma responsabilização de ex-gestores e empresários caso sejam constatadas irregularidades na execução do contrato, Dudu afirmou que será dado o direito de ampla defesa, mas que dependendo dos resultados das oitivas, serão solicitadas as providências previstas na lei.

“É bom investigar e aqui nós vamos dar sempre a oportunidade do contraditório, para que a gente não faça nada sem dar condição da ampla discussão e defesa. É óbvio que apanhado qualquer tipo de irregularidade, nós vamos pedir na forma da lei que sejam tomadas as devidas providências. Eu não quero antecipar juízo de valor, porque nós vamos começar a fazer esses trabalhos, essas oitivas, ainda na próxima semana. Eu espero que a gente possa resolver o problema, o intuito da CPI não é criar problema, é resolver”, completou.

O presidente da comissão ainda comentou declarações de vereadores questionando o real motivo da instauração da CPI, que foi classificada por alguns como “palanque político” e “caça às bruxas”.

“Eu vi vereador que assinou a CPI e depois pediu para ser lida em plenário a minuta. É brincadeira. Vi vereador colocar nome de membros na comissão e depois declinou, como se não tivesse sido autorizado a colocar, e ficou com cara de pastelão. Eu vi vereador falar em picadeiro. Quem dera. Eu sou favorável a circo, a alegria, ao entretenimento, adoro circo. Agora, pior do que comparar a picadeiro é você esquecer a sua origem ou estar com algum problema de memória”, finalizou.

Confira a matéria em vídeo:

Mais na Web