Viagora

Wellington Dias defende chapa entre Lula e Geraldo Alckmin

O ex-governador do Piauí falou sobre a indicação de Alckmin do PSB, para ser vice de Lula, no PT, nas eleições presidenciais.

Na manhã desta sexta-feira (08), o ex-governador Wellington Dias falou sobre a indicação de Geraldo Alckimin, do PSB, para ser vice na chapa de Lula (PT), que deve concorrer à presidência nas eleições deste ano.

O ex-chefe do executivo estadual piauiense defendeu a possibilidade de uma chapa entre Lula e Alckmin fazendo a comparação com um casamento que garante condições de compromisso com o país.

Foto: Luis Marcos/ ViagoraEx governador Wellington Dias
Ex governador Wellington Dias

“Em relação a esse ato eu estive na segunda-feira em São Paulo e ali tivemos agenda preliminar, hoje é o que eu chamo lá de o momento do pedido de casamento, o momento em que o PSB e o Partido dos Trabalhadores, mas também o PV, o PCdoB junto com outros partidos, garantem a condição de um compromisso com o Brasil. O compromisso através de dois grandes líderes”, destacou.

Wellington lembrou que Alckimin já concorreu contra Lula em eleições presidenciais e que agora, em nome de um interesse maior da população brasileira, estão juntos e devem somar em um mesmo projeto, fazendo assim uma aliança.

“Líderes que mesmo tendo protagonizado um período de quase 30 anos na disputa da hegemonia nacional, do Partido dos Trabalhadores, o Lula, o ex-governador, Geraldo Alckmin pelo PSDB, foi governador em São Paulo, foi candidato a presidente, concorreu com o Lula e em nome de uma conjuntura, em nome de uma situação, consideramos que é um processo de destruição do povo, é com risco à democracia, também em relação ao próprio processo de desenvolvimento do país, veja que a gente voltou no que diz respeito aos investimentos à 1940, então em nome de um interesse maior da população, se juntam, se somam, em torno de um projeto que vai ser trabalhado como um movimento nacional muito além das fronteiras dos partidos da aliança”, afirmou.

O ex-governador também comentou que no próximo dia 30 de abril, haverá um evento que pode confirmar essa união, podendo ser um momento importante para a população brasileira.

“Está previsto também já para o próximo dia 30 de abril, um ato em que vai ter como eixo os principais temas de interesse da população a eucaristia, soberania, mas, principalmente, esse compromisso pela reconstrução do Brasil, e a partir daí, a convenção, ou seja, com certeza, se dá o casamento propriamente dito, tem o período do noivado e tem ali a partir da vontade dos vigentes, dos partidos, essa confirmação, então eu acho que é um momento importante para o Brasil”, disse.

Com informações de Anna Paula Couto.

Facebook
Indicado para você
Veja também