Viagora

Comerciantes reclamam de prejuízos pela interdição da Homero Castelo Branco

A via foi totalmente interditada no dia 06 de fevereiro de 2022 . A previsão de encerramento e entrega da obra, estava previsto para o último sábado (02), mas só foi entregue uma semana depois.

  • Matheus Santos/ Viagora Comerciantes reclamam de interdição na Avenida Homero Castelo Branco em Teresina 1 / 7 Comerciantes reclamam de interdição na Avenida Homero Castelo Branco em Teresina
  • Matheus Santos/ Viagora Comerciantes reclamam de interdição na Avenida Homero Castelo Branco em Teresina 2 / 7 Comerciantes reclamam de interdição na Avenida Homero Castelo Branco em Teresina
  • Matheus Santos/ Viagora Comerciantes reclamam de interdição na Avenida Homero Castelo Branco em Teresina 3 / 7 Comerciantes reclamam de interdição na Avenida Homero Castelo Branco em Teresina
  • Matheus Santos/ Viagora Comerciantes reclamam de interdição na Avenida Homero Castelo Branco em Teresina 4 / 7 Comerciantes reclamam de interdição na Avenida Homero Castelo Branco em Teresina
  • Matheus Santos/ Viagora Comerciantes reclamam de interdição na Avenida Homero Castelo Branco em Teresina 5 / 7 Comerciantes reclamam de interdição na Avenida Homero Castelo Branco em Teresina
  • Matheus Santos/ Viagora Comerciantes reclamam de interdição na Avenida Homero Castelo Branco em Teresina 6 / 7 Comerciantes reclamam de interdição na Avenida Homero Castelo Branco em Teresina
  • Matheus Santos/ Viagora Comerciantes reclamam de interdição na Avenida Homero Castelo Branco em Teresina 7 / 7 Comerciantes reclamam de interdição na Avenida Homero Castelo Branco em Teresina

O Viagora recebeu reclamações de comerciantes, com lojas próximas ao trecho da Avenida Homero Castelo Branco que estava interditada por conta das obras que estão sendo feitas com o objetivo de acabar com os alagamentos na região em períodos de chuva.

A equipe de reportagem foi até o local para falar com alguns comerciantes e lojistas, chegando lá foi constatado que a obra ainda contava com muitos buracos no chão, não permitindo nenhum acesso aos motoristas.

 Francisco Lima, dono de um salão de beleza no loca, conta que mantém contato com os clientes por meio das redes sociais, mas conta que isso não tira o fato do faturamento cair. “Nós falamos com os clientes pelas redes sociais, mas não deixa atrapalhar, de cair 30%, 40% do faturamento”, ressalta.

Francisco ainda reclama do posicionamento das placas de interdição, que fazem os motoristas desviarem a rota em até uma rua antes do local interditado. “O problema é que botaram a placa mais para frente, mas não precisa botar a placa ali, é só botar um aviso dizendo para os clientes das lojas que entre, é só botar uma placa avisando”, explica.

De acordo com ele, os prazos para conclusão são sempre estendidos. “Era para ter acabado há muito tempo, eles dizem uma coisa e depois dizem outra. Diz que daqui a quinze dias, depois um mês, já passou mais de mês isso, e na outra semana já vai fazer dois meses. E eles nem avisam nada, não estão nem aí, a gente que vai lá para saber como está o andamento da obra, se não for atrás não tem informação nenhuma. Aí como o fluxo de carro era grande, está atrapalhando bastante”, encerra.

Outra lojista que preferiu não ser identificada, explicou que por conta da interdição da via, muitas pessoas pensam até que as lojas da região estão fechadas, desviando a rota e procurando outra loja. “A situação está complicada, as vendas caíram bastante. Você pode ver que não tem movimentação nenhuma. As pessoas até pensam que as lojas estão fechadas, como não podem entrar na rua acham que está tudo fechado”, conta.

A via foi totalmente interditada no dia 06 de fevereiro de 2022. A previsão de encerramento e entrega da obra, estava previsto para sábado (02), mas só foi liberada uma semana depois, no sábado (09).

Mais conteúdo sobre:

Teresina

Piauí

Obras

Facebook
Indicado para você
Veja também