Viagora

Varíola dos macacos: OMS se preocupa com os 813 casos no Brasil

De acordo com o Ministério da Saúde, a situação epidemiológica da doença é uma prioridade para o órgão.

Nessa terça-feira (26), a Organização Mundial da Saúde (OMS) demonstrou preocupação com o número de casos do vírus Monkeypox, conhecido popularmente por varíola dos macacos registrados no Brasil. O país até o momento tem 813 casos confirmados, com 595 infecções somente no estado de São Paulo.

De acordo com a líder técnica da OMS, Rosamund Lewis, a situação no país é alarmante pois os números podem estar incertos devido à carência de testes para diagnóstico. “É importante que as autoridades também tomem conhecimento da emergência de saúde pública e de interesse internacional, das recomendações e tomem as medidas adequadas”, pontuou a profissional.

Foto: Divulgação/ OMSVaríola dos Macacos
Varíola dos Macacos

Conforme informações dadas através de nota, O Ministério da Saúde afirmou que a situação epidemiológica da varíola dos macacos é uma prioridade do órgão, que está realizando o trabalho de análise e monitoramento. “Todas as medidas hoje anunciadas pela Organização Mundial da Saúde (OMS) já são realizadas pelo Brasil desde o início de julho de forma a realizar uma vigilância oportuna da doença”, diz trecho do comunicado oficial.

O MS ainda informou que negociações com a OMS estão sendo realizadas com o objetivo de trazer a vacina disponível para o combate à Monkeypox ao Brasil.

Vírus

A varíola dos macacos é uma doença viral transmitida através do contato próximo com uma pessoa infectada. Esse contato pode ser um abraço, beijo ou relações sexuais. Além destes, a transmissão pode ocorrer por secreções respiratórias e contato com objetos e superfícies utilizados pelo doente.

Segundo a OMS, os primeiros sintomas da doença podem ser febre, dor de cabeça, dores musculares e na costas, calafrios, cansaço, além da presença de linfonodos inchados. Após cerca de três dias, o doente pode apresentar lesões de pele, na boca, pés, peito, rosto ou regiões genitais.

Dessa forma, é necessário que a população em geral evite contato com infectados e higienize as mãos com frequência.

Com informações da Agência Brasil.

Facebook
Indicado para você
Veja também