Viagora

Greve: mais de 60 professores da UESPI denunciam desconto nos salários

Pelo menos 64 professores da Universidade Estadual do Piauí (Uespi), que participam do movimento grevista, tiveram desconto em seus salários após o corte do ponto.

Na manhã desta sexta-feira (26), os docentes da Universidade Estadual do Piauí (UESPI) promoveram uma Assembleia Geral, onde denunciaram que em torno de 63 professores se depararam com cortes salariais, que teriam sido promovidos pelo Governo do Estado. O ato dos grevistas aconteceu em frente a reitoria da instituição, no Campus Poeta Torquato Neto, em Teresina.

De acordo com a coordenadora geral da ADCESP, Seção Sindical dos Docentes da UESPI, a professora Lucineide Barros, os cortes são baseados em alegações de faltas na docência. “Alguns professores que agraciados com esse corte, estão afastados para doutorado, vale acrescentar que a maioria dos nomes da lista são de professores grevados”, frisou.

Foto: Alexia Dias/ViagoraAssembleia da greve na Uespi
Assembleia Geral dos docentes na Uespi

Os professores da Uespi, que reivindicam a recomposição de perdas salariais, estão organizados em conjunto com outras categorias do serviço público que pleiteiam o reajuste salarial, um ato público para a próxima semana. O movimento também deve reunir alunos e grupos sindicais. 

Segundo o advogado representante da classe, uma liminar do Tribunal de Justiça do Piauí (TJ-PI) reconheceu a legalidade da greve dos professores da Uespi, desde que respeitado o percentual de 70% para a prestação dos serviços essenciais de educação.

A servidora pública, Rosângela Assunção, teve o salário cortado e em assembleia afirmou que irá se manter firme na greve. “Com salário ou sem salário seguimos em greve”, afirma.

Outro lado

O Viagora procurou a universidade para falar sobre o assunto, mas até o fechamento da matéria nenhum representante foi localizado. 

Facebook
Indicado para você
Veja também