Viagora

Gustavo Henrique afirma que Patriota não persegue Sarapatinhas

O pré-candidato a governador explicou que a vereadora nunca sofreu perseguição partidária e já foi até mesmo convidada para participar do Diretório Executivo da sigla.

Nessa terça-feira (17), o pré-candidato ao Governo do Piauí e presidente estadual do Patriota, Gustavo Henrique, concedeu entrevista ao Viagora e declarou que a vereadora Thanandra Sarapatinhas, eleita pela sigla, nunca sofreu perseguição e já foi até mesmo convidada para exercer funções internas no diretório do Piauí.

A parlamentar enfrenta um processo judicial no Tribunal Regional Eleitoral (TRE-PI) para deixar o Patriota e já alegou que o partido quer força-la a lançar sua candidatura pela sigla. O presidente estadual da legenda afirmou que já externou seu desejo de que a parlamentar integrasse a chapa de deputado federal.

Foto: Luis Marcos/ ViagoraGustavo Henrique
Gustavo Henrique

Gustavo Henrique ainda ressaltou que o Diretório Nacional se colocou à disposição para garantir as condições logísticas que garantisse Sarapatinhas na disputa ao pleito. A vereadora não demonstrou insatisfação ou desejo de sair do partido, como explica o pré-candidato.

“Eu já havia conversado com ela que eu tinha interesse de que ela estivesse em nossa chapa de deputado federal, se eu estivesse em outra agremiação, porque até então eu não sabia que assumiria o Patriota. Então eu estive em fevereiro com ela, com o vice-presidente nacional do partido no gabinete dela e nós fomos bem recebidos em momento algum ela externou insatisfação ou desejo de sair do partido, inclusive nos colocamos o partido a disposição para ela ser candidata de deputada federal com todo apoio logístico, apoio do partido integral, eu disse a ela que na melhor das hipóteses seria até melhor para 2024 na reeleição de vereadora e seria uma maneira de aferir o feedback do trabalho dela com o eleitor”, declara.

O pré-candidato ainda explicou que soube sobre o processo judicial através da imprensa e que até onde foi apurado o partido não representou nenhum tipo de impedimento ou perseguição à vereadora.

“Pouco tempo depois eu fiquei sabendo pela mídia o desejo dela de sair do partido e alegando motivos de perseguição, até onde eu apurei o partido instituição nunca tuliu ela em nada, não perseguiu, não há perseguição no Patriotas, inclusive nós ainda nem deliberamos a respeito do apoio do partido em relação a prefeitura de Teresina, ou seja, ela está muito à vontade”, pontua.

Segundo o presidente estadual do partido, a vereadora já foi convidada a participar de reuniões junto ao partido e até mesmo para participar da executiva do Patriota.

“Nós já a convidamos para que ela participe de reuniões, inclusive, a convide para fazer parte da executiva do partido ela disse que não queria porque estava muito focada no trabalho dela na Câmara, mas ela foi convidada para exercer função interna no partido, então ela tem alguns processos com alguns filiados então é uma questão com o filiado, mas o partido oficialmente nunca tuliu ou cerceou nenhum tipo de direito. Nós precisamos deixar claro que existe dentro do ordenamento jurídico eleitoral a disciplina partidária, não é porque ela é vereadora que pode fazer tudo com o partido, e também não é tudo que o partido quer ou deixa de querer que pode ser também implementado, imposto, a alguém, seja filiado ou detentor de mandato, desde que haja fundamentação”, explica.

Foto: Divulgação/PatriotaVice-Presidente Nacional do Patriota, Júnior Marreca, Vereadora Thanandra e Gustavo Henrique
Vice-Presidente Nacional do Patriota, Júnior Marreca, Vereadora Thanandra e Gustavo Henrique

Além disso, Gustavo Henrique afirmou que ainda tem esperanças de que Thanandra Sarapatinhas decida lançar sua candidatura pelo Patriota. O pré-candidato explica que a vereadora só poderá deixar o partido por meio da janela partidária que será aberta em 2024.

“Não há motivo de perseguição nenhuma, então mesmo que nós viermos a deliberar algo que seja de encontro ao pensamento dela não justificaria também a sua saída, até porque a janela partidária para vereadores só ocorrerá em 2024. Da minha parte não há nada, nós temos um deputado federal o Fred Costa que é fundador do partido e, inclusive, recentemente gravou até um vídeo para ela. Ele é o deputado que criou a lei, sancionada recentemente, que criminalizou os maus tratos aos animais é um expoente do partido, um jovem deputado federal de Minas Gerais. Da nossa parte não há nenhum tipo de animosidade ou questão pessoal com ela, inclusive, nós temos esperança de que ela possa vir a ser candidata conosco, por que não?”, complementa.

Questionado sobre a declaração da vereadora em que a mesma enfatiza que neste ano será “uma pedra no sapato do Patriota”, Gustavo Henrique ironizou afirmando que até agora ainda não o machucou. O presidente do partido afirma que essas provocações são apenas de momento, de rompante.

“Ainda não me machucou. Eu acredito que isso é uma questão mesmo de momento, de rompante, eu a acho uma jovem, está em um processo de amadurecimento político, eu converso as vezes com o pai dela, não é segredo para ninguém que eu mesmo ligo para o pai dela, bato um papo, mas eu vi apenas como um momento que não houve a realização de um desejo. Foi aquele momento de muito assédio, muitos partidos até mesmo o do gestor municipal assediando-a para ir para lá, mas se é para ela contribuir, para ser legenda lá, porque não ser aqui?  Por enquanto essa pedra não me machuca”, conclui.

Facebook
Indicado para você
Veja também