Viagora

Fila do INSS cresce meio milhão no governo Lula em 2023

Eram 1.087.858 em dezembro de 2022. O 1º ano da gestão do petista terminou com 1.545.376.

O portal Poder 360 divulgou que presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) não cumpriu a promessa de zerar a fila de espera do INSS (Instituto Nacional da Seguridade Social).

Conforme a publicação, a meta foi estabelecida em seu discurso de posse, em 1º de janeiro de 2023. De lá para cá, o número de solicitações em análise cresceu meio milhão. Eram 1.087.858 em dezembro de 2022.

O presidente reiterou algumas vezes ao longo do último ano o compromisso de acabar com a espera pelo benefício, que atingiu o ápice de 1.833.567, em julho. No mesmo mês, o presidente editou a MP (medida provisória) nº 1.181, visando o enfrentamento à fila, informou oPoder 360.

Em janeiro de 2023, o ministro da previdência social afirmou que cumpriria o objetivo do presidente. No entanto, o tom das declarações mudou. Lupi passou a afirmar que zerar a fila seria “impossível” e uma promessa nesse sentido seria “mentirosa “.

De acordo com o presidente do INSS, Alessandro Stefanutto, o foco deve ser no tempo que os beneficiários aguardam para serem atendidos. O desafio é alcançar a espera de 30 dias para a concessão de benefício, ainda que a quantidade de benefícios em análise permaneça alta.

Promessa

O presidente do Brasil iniciou sua gestão com a espera de 79 dias no instituto. “O número relevante para o brasileiro que quer saber do seu benefício é em quanto tempo ele vai ser atendido. Não interessa quanta gente tem na fila “, afirmou Stefanutto.

Conforme ele, a promessa de Lula foi feita neste sentido. “Quando o presidente Lula falou em zerar, ele falou em atender, melhorar o tempo de atendimento “. Ainda segundo Stefanutto, as falas de Lupi sobre a incerteza quanto ao fim da fila comprovam essa mudança de objetivo. “Não é que ele tenha desistido, mas percebeu que o que é importante para as pessoas é o tempo de espera “.

Espera na fila do INSS em 2023

De acordo com a publicação, o INSS credita o aumento do número de solicitações em análise a 2 principais fatores. Um deles é o de que a população estaria recorrendo mais ao órgão. No 2º semestre de 2023, a quantidade de pedidos requeridos por mês aumentou, ultrapassando 1 milhão. De junho para outubro, os pedidos recebidos mensalmente cresceram em 35%.

De 798 mil para 1,08 milhão. Desde novembro, o número está em queda. No último mês de 2023, foram 993 mil novos requerimentos. Conforme o presidente da autarquia, o aumento da fila durante a gestão de Lula se associa também a um “represamento de dados”. De acordo com ele, houve incongruência nos repasses sobre a seguridade social pelo governo anterior, informou oPoder 360.

O Poder 360 revelou que o número de pedidos em análise deixado, oficialmente, pela gestão de Jair Bolsonaro (PL), foi de 1.231.322. Mas o dado remetido para o Ministério da Casa Civil na prestação de contas durante o período de transição alcançou 2.000.000, segundo Stefanutto.

Segundo a gestão anterior, o ex-ministro do Trabalho e Previdência de Bolsonaro, José Carlos Oliveira, disse que a declaração do atual chefe da seguridade social é uma “controvérsia retórica”. 

O Atestmed, modelo de concessão de benefício, tem sido cada vez mais incentivado pela autarquia, que relaciona a diminuição do tempo de espera em queda desde agosto com o uso da plataforma. Em julho, o governo iniciou uma força-tarefa para a redução do tempo de espera.

Mudanças

O presidente editou em julho a MP 1.181/2023, que foi sancionada como lei, em novembro. A lei 14.724 de 2023 estabeleceu a criação do Programa de Enfrentamento à Fila da Previdência Social.

 Alessandro Stefanutto prevê um INSS equilibrado em 2025, em que a questão da espera seja superada. Para o próximo ano, a casa tem o objetivo de automatizar a solicitação de auxílio. 

Inteligência Artificial

Conforme o Poder 360, a autarquia contará cada vez mais com uso da inteligência artificial. Neste mês, foi iniciada a fase de testes de uma tecnologia que deve impedir fraudes e golpes no uso do Atestmed.

Com informações do Porder 360.

Facebook
Indicado para você
Veja também