Genevaldo Silva

Genevaldo Silva

Opinião & Política - Contato (86) 99839-8180 / 99423-5410 - E-mail: genevaldosh1@gmail.com

Promotor pede intimação do administrador judicial da Servi San

15/05/2018 15h49 - atualizado

O Ministério Público Estadual foi provocado pelo sócio cotista Fábio de Carvalho Veras Fortes, para apurar denúncia de irregularidades supostamente cometidas pelo diretor financeiro do Grupo Servi San.

De acordo com Fábio de Carvalho, o diretor financeiro Gladston Rego Lages Neto estaria cometendo irregularidades dentro do processo de recuperação judicial da empresa.

Fábio de Carvalho destaca os seguintes pontos de controvérsia: a) Gladston Rego Lages Neto, estaria utilizando suas contas pessoais para movimentação de dinheiro das empresas do Grupo;  b) a inércia do administrador judicial em tomar as devidas providências, após ser notificado dos fatos; c) desvios de dinheiro na forma de doações para Lúcia Maria de Melo (segunda a denúncia ela é amante do sócio majoritário Francisco de Assis Veras Fortes);  d) que a mesma diretoria do Grupo ocupa, de forma ilegal, os cargos de diretores numa empresa fictícia, que celebra prestação de serviço ao grupo percebendo seus vencimentos através da mesma.

Diante das supostas irregularidades, o cotista Fábio de Carvalho pediu intervenção do Ministério Público Estadual para tomada de providências. Ele pede uma liminar para afastar toda a diretoria; a citação e a quebra do sigilo bancário do diretor Gladston Rego Lages Neto, acusado de apropriação indébita; a acareação entre os diretores Paulo Melo e Marcelo Barros; apresentação dos últimos 5 anos dos balancetes da empresa.

O promotor de justiça José Reinaldo Leão Coelho emitiu parecer no dia 11 de maio deste ano e antes de tomar qualquer providência, determinou a intimação do administrador judicial Jorge Ivan Teles para que se manifeste acerca das supostas irregularidades.

Recuperação judicial

O processo de recuperação judicial do Grupo Serv San tramita na 3ª vara cível da comarca de Teresina. Em setembro de 2017 o juiz Teófilo Rodrigues Ferreira publicou sentença determinando a recuperação judicial da empresa.

Mais na Web