Viagora

Covid: Sesapi orienta que festas de fim de ano devem seguir medidas

Segundo a Sesapi e a Divisa, no período de festividades natalinas e do ano novo devem ser respeitadas as medidas contempladas na Recomendação Técnica Nº 024, como a obrigatoriedade do uso de máscaras.

A Secretaria de Estado da Saúde (Sesapi), através da SUPAT, Diretoria de Vigilância Sanitária do Estado (DIVISA), orienta a população piauiense sobre a importância do cumprimento de medidas de combate ao coronavírus nas festividades de fim de ano.

Conforme a Sesapi e a Divisa, no período de festividades natalinas e do ano novo devem ser respeitadas as medidas contempladas na Recomendação Técnica Nº 024, como a obrigatoriedade do uso de máscaras durante as confraternizações.

A diretora da DIVISA, Tatiana Chaves, afirmou que o combate a covid-19 deve ser intensificado pelos órgãos da saúde durante este momento que pode gerar aglomerações.

“É uma medida que ao longo de todo esse período de pandemia tem sido intensificada pelos gestores e órgãos de saúde, pois é uma maneira eficaz e segura para evitarmos a propagação da doença”, explica a diretora Divisa.

Ainda segundo orientações dos órgãos, é recomendado que a confraternização seja realizada, de preferência, em locais abertos e os insumos como pia com água e sabão, papel toalha, lixeiras com tampas e/ou álcool a 70% para a constante higienização das mãos devem ser disponibilizados no local da festividade.

Os utensílios que serão utilizados durante a ceia, como copos, talheres, pratos, devem ser individuais, e se possível, os participantes da festividade devem fazer uso de luvas de vinil ou plásticas descartáveis ao se servir.

O distanciamento social de 1,5m, estabelecido pelas normas vigentes, também precisa ser respeitado, por isso, as mesas e cadeiras devem ser posicionadas de modo que a medida seja assegurada.

“Esse distanciamento também é indicado, por exemplo, ao se formar uma fila com as pessoas que vão se servir. São coisas simples, mas que tem uma eficácia para minimizar a transmissão da doença”, explica Tatiana Chaves.

De acordo com a Divisa e Sesapi, as pessoas que apresentarem sintomas gripais ou característicos da Covid-19 não devem participar das festividades.  Além disso, os participantes da confraternização devem estar vacinados com pelo menos duas doses da vacina ou ainda apresentar testagem negativa para o vírus.

Ainda conforme os órgãos, a imunização completa é fundamental, de acordo com estudos científicos que comprovam a redução da eficácia das vacinas após 5 meses de aplicação da segunda dose e as alterações imunológicas observadas no processo de envelhecimento entre os idosos, que precisam de uma dose de reforço.

Existe também a preocupação com as crianças menores de 12 anos, que ainda não tiveram vacinação contra a covid-19 liberadas e, portanto ainda não foram imunizadas.

A Sesapi também orienta que durante o preparo dos alimentos é preciso manter a higiene do local, dos utensílios utilizados e das mãos. Se a ceia for encomendada é necessário verificar as condições do local, assim como o seu licenciamento sanitário.

Conforme o órgão, as medidas de combate ao avanço do coronavírus têm o objetivo de proteger a saúde da população devido o aparecimento da nova variante batizada por Ômicron.

A Vigilância Sanitária do Estado disponibiliza informações complementares ou tira dúvidas sobre o assunto através do telefone (86) 3216 3662 ou pelo e-mail [email protected]

Facebook
Indicado para você
Veja também