Política

Marcos Filho acusa PSC de não repassar recursos do fundo eleitoral

O Dr. Marcos Filho, candidato a prefeito de Redenção do Gurguéia pelo PSC, denunciou que o seu partido não repassou recursos do fundo eleitoral para os candidatos da cidade.
30/10/2020 15h34 - atualizado

O Dr. Marcos Filho, candidato a prefeito de Redenção do Gurguéia pelo PSC, denunciou que o seu partido não repassou o Fundo Especial de Financiamento de Campanha, conhecido como fundo partidário, de forma igualitária aos candidatos do Piauí nas eleições municipais deste ano.

O advogado afirma que enquanto candidatos de Teresina e outras cidades receberam valores entre R$ 275 mil e R$ 30 mil, em Redenção do Gurguéia, os candidatos não receberam recursos da legenda para custear suas campanhas.

“O que percebo é que esse Fundo Especial de Financiamento de Campanha falhou feio, na medida que o presidente estadual [do PSC] indicou as pessoas mais próximas dele para receber tais valores e esqueceu que todos todo partido teriam que receber um valor mínimo para poder custear o básico de uma campanha”, declarou o candidato.

  • Foto: DivulgaçãoMarcos RochaMarcos Filho, candidato a prefeito de Redenção do Gurguéia pelo PSC.

Marcos Filho classificou a ação do partido como “desonesta” e que apresentará denúncia aos órgãos fiscalizadores, para que seja esclarecido o limite legal para distribuição do fundo partidário.

“Cheguei à conclusão que dificilmente o Brasil terá solução, pois os caciques partidários são mais desonestos com seus correligionários do que os eleitores corruptos com seus candidatos. Assim peço a atenção do Ministério Público Estadual e Federal para que tomem as providencias legais, no sentido de atestar qual o critério legal de divisão do tão falado Fundo Especial de Financiamento de Campanha, pois aqui em Redenção não veio um real. É lamentável o que o PSC vem fazendo com candidatos das cidades mais pobres, como Redenção do Gurguéia”, afirmou.

Outro lado

Viagora tentou contato com o presidente estadual do PSC no Piauí, Valter Alencar, para comentar o assunto, porém, até o fechamento da matéria, o advogado não foi localizado.

Mais na Web